Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

as surpresas de DEUS!

uma cristã católica com sérias dificuldades no caminho da Santidade!!!

as surpresas de DEUS!

uma cristã católica com sérias dificuldades no caminho da Santidade!!!

Um almoço de trabalho...

28.05.15, Helena Le Blanc

 

IMG_2814.JPG

No meu dia a dia profissional de vez em quando tenho almoços de trabalho.

Como todos sabemos, é à volta de uma mesa que acontece a maior parte dos momentos mais importantes das nossas vidas: comemorações e festejos, namoros, reuniões de família, tomadas de decisões (ou o alinhavar), formação ou planeamento de alianças... Há  já mais dois mil anos atrás que isto era assim: por exemplo a ultima ceia do tríduo pascal, a primeira Eucaristia.

Os almoços de trabalho têm um esquema mais ou menos pré-definido: fala-se de "tudo" um pouco, como introdução, depois falamos do assunto central que reune os presentes, e depois concluí-se com uma ou outro assunto que no início causou mais descontração e que envolveu todos os intervenientes. 

Apesar de andar à pouco tempo nestas andanças, percebi que as coisas acontecem mais ou menos assim.

Portanto, num destes dias, fui almoçar com o meu chefe e duas representantes de topo, altamente especializadas, de uma empresa conceituada a nível nacional.

IMG_2809.JPG

 Assim, o "esquema pré-definido" não fugiu à regra.

O primeiro tema introdutório foram as férias. Que planos é que tínhamos, locais de sonho, tipo de férias, orçamentos possíveis para famílias numerosas, convites aos filhos para passar férias com tudo pago, locais habituais para passar férias, férias quando é só o casal, férias com filhos e bebes, etc...

A conversa estava a desenvolver-se muito bem, envolvendo todos os presentes e proporcionando um ambiente descontraído e agradável entre todos.

A determinada altura, não sei bem como, e para minha grande surpresa, a conversa  começa a girar à volta da religião. 

Em todos os jantares que tive até hoje, esta temática nunca surgiu. Aparece muito habitualmente o futebol, o governo, os partidos, as notícias do dia, os carros, as lojas (para as mulheres), e muito mais. Agora, eu sempre senti que a "religião" fazia parte dos assuntos proibidos pois ninguém gosta ou quer falar sobre isso.

IMG_2798.JPG

 Mas não foi o caso neste dito almoço. Todos nós conversámos sobre a religião. Todos os presentes eram católicos e que abraçam a sua fé. Sem nos conhecermos tão bem, acabamos por revelar esta faceta das nossas vidas pessoais. Falámos dos valores cristãos, da participação na Eucaristia, e como os católicos são "envergonhados" e que não assumem este aspeto da mesma forma como dizem que são fãs da equipa de futebol x ou y.

Eu senti-me tão bem e privilegiada por poder estar a falar deste aspeto da minha vida tão importante num almoço de trabalho.

Fiquei a saber que, uma das representantes da empresa ia há mais de 30 anos a Fátima a pé. Claro que o assunto dos peregrinos foi um dos tópicos desta temática.

O meu chefe perguntou-lhe, pedindo desculpas pela possível indiscrição, porque é que o fazia? Eu estava à espera que ela dissesse que o motivo seria uma promessa, o cumprimento de uma promessa. Mas não, já ia, há 30 anos a Fátima, para agradecer a Nossa Senhora. Todos os anos vai até à Nossa Senhora de Fátima em sinal de agradecimento. E aproveitou para nos contar um episódio que a marcou numa das suas peregrinações.

IMG_2317.JPG

 Ela, e a sua companheira de peregrinação, uma certa vez, passaram por uma senhora que estava a fazer a caminhada sozinha. Começaram a falar com a senhora perguntando-lhe se não gostaria de se juntar ao "grupinho", já que é muito bom falar e ter companhia. E a dita senhora, a determinada altura, revela o motivo pelo qual estava a ir a Fátima a pé. A senhora tinha um filho pequeno que tinha estado muito doente. E a cura do filho passou pelo transplante de um órgão de um jovem de 20 anos que morreu acidentalmente. Ela, enquanto mãe, ficou muito feliz pela cura do filho. No entanto morreu um jovem. Então decidiu ir a pé a Fátima para pedir a Nossa Senhora consolo para aquela mãe que perdeu o filho, e que se tornou salvação do seu próprio filho. A senhora diz-lhes que não se esquece da outra mãe; esta está sempre presente no seu espírito.

Este episódio sensibilizou-nos a todos.

Agradecimento e pedido de consolo para um irmão que foi a origem de uma nossa grande alegria: dois grande motivos para uma peregrinação a um local sagrado.

Que belo almoço!

IMG_2759.JPG 

2 comentários

Comentar post