Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

as surpresas de DEUS!

Aprendemos, vivemos e partilhamos a nossa Fé.

as surpresas de DEUS!

Aprendemos, vivemos e partilhamos a nossa Fé.

16
Set17

A Fé traumatiza a criança?

Helena Le Blanc

De vez em quando assaltam-me algumas duvidas quando vejo pequenos sinais da nossa Fé no meu filho.

Por exemplo, neste verão ele esteve com uma jovem amiga durante uma semana cá em casa. Brincou muito com ele e fizeram diversas atividades. Em alguns dias, quando chegava a casa, tinha surpresas à minha espera:

IMG_6646-001.JPG

Bem, neste caso foi uma surpresa para o Pai, a sua prenda de anos.

Mas tive mais, por exemplo esta:

IMG_6623-001.JPG

Entre outras, o que chamou mais atenção foi isto:

IMG_6528-001.JPG

IMG_6529-001.JPG

Nessa noite o nosso canto de oração ficou assim:

IMG_6534-001.JPG

Como é que um menino de 4 anos tem estas iniciativas? Porque a sua família tem muito presente a sua Fé no seu quotidiano e na sua casa.

Mas é normal este tipo de iniciativa? Será saudável que a criança seja rodeada assim de tantos sinais e vivências?

São as tais dúvidas que de vez em quando me assaltam. Não irá ele um dia ficar "enjoado", "farto", "traumatizado"?

Quando as crianças têm este tipo de iniciativas normalmente foi porque o Catequista, o Padre ou outro adulto pediu. Mas o meu filho lembrou-se de escrever também o nome de Jesus numa pedrinha, tal como tinha feito já com os nossos nomes, e colocar no nosso canto de oração porque na nossa família o Pai, a Mãe, a televisão, os brinquedos, a patrulha pata, etc.. têm a mesma importância que têm Jesus, a nossa Fé, a nossa Oração, o nosso Deus. Tudo é importante, um bocadinho de cada, sendo certo que os valores que Deus nos pede para vivenciar, ensinados por Jesus Cristo, terão que ser o mais importante de tudo. Isto chega-nos através de desenhos animados adequados, brincadeiras, jogos, histórias... por ex. as histórias da bíblia que são tão boas como as histórias "tradicionais".

Isto é o que eu acredito apesar das minhas dúvidas (típicas de mãe).

A nossa casa têm coisas que nós gostamos. Um exemplo disso é a cor verde com que pintamos o interior da nossa casa. E se eu amo Deus tenho que necessariamente expressar isso nas coisas que me rodeiam, seja em minha casa, no meu carro, na minha carteira, nos meus livros, no meu facebook...

O meu filho vai absorvendo inconscientemente todos estes sinais, e como tal vai fazendo sentido para ele a nossa Fé, já que vamos à Missa todos os domingos, benze-mo-nos todos os dias com água benta, agradecemos as coisas boas do dia, rezamos Avé-Marias e Pai- Nossos (neste caso ele é o encarregue de contar), lemos histórias da bíblia, temos a Cruz da nossa salvação cá em casa, etc...

Outro exemplo que me ocorre: os clubes de futebol. Cedo as crianças sabem qual o club favorito dos pais e aprendem a "torcer" por esse club. Para os rapazes faz sentido particarem futebol porque esse desporto, esse gosto, está presente (de diversas formas) na família. As crianças ficam traumatizadas por causa do futebol? 

Num dia destes, e junto de um casal amigo com quem ele passou o fim de semana, ao ver uma cruz alta na estrada fez o seguinte comentário:

 

- A minha mãe iria gostar muito desta cruz!

 

E isto é um comentário saudável, não de uma criança "traumatizada" pelos pais e pela sua vivência na Igreja Católica.

Por isso é que, em tempos de reinício de catequese, sinto-me muito triste quando percebo junto das crianças que a catequese não faz sentido para elas. Percebem o que se diz e ensina, mas não têm nenhum resultado pratico nas suas vidas porque a família não vive a sua Fé. 

A missa, a catequese, os ensaios para a Primeira Comunhão e Crisma, etc... tudo isso é difícil para as crianças e jovens porque quando olham para os seus pais, verificam que o que andam a fazer são formalidades e festas, e é assim que vão aprendendendo o que quer dizer "hipocrasia", "mentira", "estar no social", "beleza"... Por sua vez os adultos vão se queixando como são os jovens de hoje!

 

Confio em Deus completamente. Sei que o seu amor por nós é inamaginável (para os nossos sentidos humanos), e que vai estar sempre ao lado do meu filho, nos bons e maus momentos eternamente. Porquê?

Porque Deus pensou-o, criou-o e entregou-me no meu seio. Ele era seu filho antes de ser meu. Eu faço o meu papel de mãe, de guardiã do tesouro mais precioso ao cimo da terra. Mas tenho que fazer mais para além disso: tenho que lhe dar a conhecer o seu verdadeiro Pai, a verdade da sua existência!

 

"Sim! Pois Tu formaste os meus rins,

Tu me tecestes no seio materno.

Eu te agradeço por tão grande prodígio,

e maravilho-me com as tuas maravilhas!"

 

(Salmo 139/138 - É Deus quem revela quem somos)

08
Out15

Programas de televisão!

Helena Le Blanc

Só quando comecei a viver com o James é que descobri as maravilhas da TV Cabo (já no século XXI!!!).

Até lá, apesar de ter uma ideia, não fazia a mínima da diversidade de canais e programas que uma televisão poderia oferecer. Mesmo durante aqueles anos que vivi sozinha, somente tive os tradicionais 4 canais nacionais. Na altura, entretinha-me com telenovelas portuguesas e brasileiras, enquanto ia fazendo trabalhos manuais (que gosto muito), ou enquanto navegava na internet, ou em TPC do meu trabalho.

Mas só quando fiquei de maternidade em casa é que tive a oportunidade de explorar as ditas maravilhas!

Um pouco antes dessa altura, nós já tínhamos decidido deixar de ver as notícias/telejornal. Não queríamos (e continuamos a querer) que notícias, sempre negativas e pouco construtivas, afetem a nossa família e influenciem a nossa filosofia de vida. Continuamos a estar a par do que acontece no mundo, através dos noticiários da radio (muito mais resumido e objetivo) e da internet, telemóvel, etc.

p8529553_b_v7_ab.jpg

Encontrei programas muito interessantes que começaram a ocupar alguns dos meus serões: Switched at Bird, Tyrant, The Good Wife, Reign, Parenthood, Suits (Defesa à Medida), Chicago PD e Anatomia de Grey. Estas são as minhas séries favoritas, e que estão memorizadas na box da TV Cabo para irem sendo gravadas. Quando tenho bocadinhos vou vendo. Estas séries e os livros são os meus momentos!

 

Ontem, porque estava com uma dor horrível nos dentes, que vinha a acumular dos últimos dias, e à espera que o antibiótico começasse a fazer efeito, fiquei enroladinha no sofá e vi os 3 últimos programas gravados da série Switched at Bird (Trocadas à Nascença).

Fiquei encantada! 

Fico muitas vezes deliciada com os temas e assuntos que aparecem nestas séries que vejo, mas ontem, conseguiram superar todas as minhas espetativas.

A principal temáticas destes episódios foi uma gravidez inesperada de um jovem casal (na idades dos 20 anos) que se tinha separado recentemente. Essas duas pessoas em início de vida profissional, e que já tinham errado diversas vezes, e por isso sem dinheiro ou empregos estáveis, e que descobrem que o bebe tem síndrome de DOWN.

Vemos como eles reagem, como a família e amigos reagem, e o que fazem até que tomem uma decisão corajosa e de grande amor pela vida. Observamos o medo, a confusão, a fuga, a procura de saber mais, o apoiar o outro mesmo que não concordemos com a decisão, o diálogo, a coragem, o pedido de ajuda à pessoa que nos mais custa desiludir, etc...

Fala-se muito dos malefícios da televisão, especialmente quando se tornem o centro de muitas famílias. Eu acho que, como tudo o resto, tem que haver equilíbrio, bom senso e muito cuidado na escolha.

Noto que já não se fala tão mal da televisão, é certo. Mas não faz sentido sentir-me culpada porque gosto de ver televisão. Eu gosto de ver. Não tenho muito tempo para isso porque tenho outras prioridades na minha vida. Mas, se tiver um bocadinho para mim, porque não?

Se eu souber escolher bem, poderei aprender muito com estas séries!suits.jpeg

Os autores e escritores são necessariamente inspirados pelas suas experiências pessoais e dos amigos que os rodeiam. São experiências humanas sentidas (seja em nome próprio seja fruto da criatividade cuja natureza por detrás é a sempre a humana)!

Um bem haja aos Autores, aos Escritores, aos Argumentistas, as Produtores, aos Diretores dos Canais de Televisão. 

Phood_S6_DDKA_horz.jpg

 Meus Deus, obrigada por esta bela surpresa!

Afinal, através do "monstro" da TV poderei aprender muito,

e fazer-me pensar sobre o que realmente é importante! 

Afinal é bom, com peso e medida, ver televisão e encontrar a tua mensagem!

Que o Espírito Santo nos ilumine e nos ensine a escolher, o "trigo do joio"!

Sigam-me

Comentários recentes

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

Mais sobre mim

foto do autor