Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

as surpresas de DEUS!

Aprendemos, vivemos e partilhamos a nossa Fé.

as surpresas de DEUS!

Aprendemos, vivemos e partilhamos a nossa Fé.

05
Ago16

O que é ser católico praticante?

Helena Le Blanc

IMG_2294 (1).JPG

 

Costumo dizer:

- "Eu sou católica praticante".

Ultimamente tenho afirmado muitas vezes isto, sem vergonha e receios.

Mas...

O que é que realmente quer dizer "praticante"? Eu sei que sou católica. Mas, e o "praticante" ou "não praticante"?

Parece-me ser de senso comum que praticante significa: ir às missas dominicais (na maior parte dos domingos), comungar, ser casado pela igreja.

Não praticante será dizer que se é batizado, que se terá frequentado a catequese e feito a Primeira Comunhão, e eventualmente o Crisma. Com sorte também terá casado pela igreja.

 

Ser praticante...

Ser católico praticante não se resume somente à participação nas Eucaristias dominicais (na maior parte dos domingos), comungar e ser casado pela igreja. Viver a nossa fé é muito mais do que isso, e como tal é fundamental - retomando o penúltimo post - fazermos parte de um Movimento Religioso Católico. São uma espécie de orientadores que nos ajudam, centímetro a centímetro, a "conhecer a nossa Fé para viver a nossa Fé e mais tarde partilhar a nossa Fé". 

Quando eu subscrevi as Famílias de Caná "estava a pedir" que me ensinassem, com modelos e palavras sábias, a ser uma "Católica praticante". Não estamos a falar de "escola/aluno". Basta estarmos presentes para... o caminho se iniciar, de forma natural e à medida de cada um, sem julgamentos ou competições.

Claro que na altura não tinha este discernimento. Simplesmente decidi dar o primeiro passo e deixar-me levar...

 

Hoje ser católica praticante quer dizer ir quase todas Eucaristias Dominicais, de vez em quando também às missas da semana, participar em momentos de Adoração ao Santíssimo, confessar-me com regularidade, rezar todos os dias uma oração familiar noturna, rezar o terço cada vez que tenho que conduzir pelo menos durante meia-hora, rezar o terço cada vez que faço caminhadas, ser generosa e caridosa para com os outros, ser muito mais compreensiva com os outros (especialmente com a minha família), ter começado a ler a bíblia (e não somente consultar), ler livros católicos, escrever este blog com uma periodicidade relativa, ... 

Tudo isto está enraizado na minha vida (umas coisas mais e outras ainda menos). Pouco a pouco começaram a fazer parte da rotina.

 

O Catecismo da Igreja Católica (um livro a consultar para qualquer dúvida sobre a nossa religião) diz o seguinte:

- Cada um de nós, no batismo, fomos lavados e santificados, em nome de Jesus Cristo e pelo Espírito de nosso Deus. Ele já nos conhecia antes de nascermos, tendo-nos predestinado a sermos como Jesus, o primogénito dos irmãos. Ele chama-nos à santidade.

 

... a santidade.

O que é? Cumprir a vontade do Pai, dedicando-me inteiramente à glória de Deus e ao serviço do próximo. 

Como chegar? Fazendo uso das minhas forças e capacidades que recebi de Deus. 

Como posso medir? Pela força da minha união com Jesus Cristo. O progresso espiritual tende à união cada vez mais íntima com Jesus. 

O que pode ajudar? A cruz. Faz parte deste processo a renúncia e o combate espiritual.

O que tenho que fazer? Seguir os ensinamentos da "lei de Cristo" que estão na Bíblia, receber a graça dos sacramentos, beber do exemplo da santidade de Maria, distinguir os irmãos que são testemunhos vivos de fé, aprender com as histórias dos santos. Encontro tudoisto na igreja, em comunhão com todos os batizados. 

(Nr.ºs 2013, 2014 e 2030 do Catecismo)

 

 

 IMG_2597.JPG

 

 

"Eu sou o Senhor, Vosso Deus.

Deveis santificar-Vos e permanecer santos,

porque Eu sou santo;

(...)

sede santos,

porque Eu sou santo"

(Lv, 11, 44, 45) 

 

 

 

03
Ago16

Movimentos religiosos

Helena Le Blanc

Caríssimas/os Amigas/os:

Na ultima vez que "bloguei" - será assim? - falei sobre a nossa grande novidade: o movimento das Famílias de Caná formalmente (e finalmente) reconhecido pela igreja dos homens.

Lembro-me de, nas vésperas, refletir sobre o caminho que nós (eu e a minha família) percorremos desde que aceitámos fazer parte desde movimento. Tanta coisa mudou, em nós e em mim!

Porquê fazer parte de um movimento se afinal todos somos católicos? Esquisito? Não faz sentido?

... para mim fez muito sentido a determinada altura da minha vida.

 

Ora vejamos:

Todos somos católicos praticantes que professam a Igreja una, santa, católica e apostólica. Sim, é verdade. Todos somos irmãos de Jesus Cristo, filhos divinos de Deus.

No entanto, apesar de termos o mesmo Pai - Deus, e sermos irmãos de Jesus Cristo, simpatizamos mais com determinados Santos que (naturalmente) se tornam modelos e referências, ou então toca-nos determinados aspetos da aliança proposta, duas vezes, por Deus.

Temos movimentos que centram-se na Palavra de Deus (a Bíblia), em Maria (a Mãe de Jesus e nossa querida Mãe), no Espírito Santo, nos Santos/Beatos/Individualidades carismáticas (movimentos que à luz do seu Líder procuram multiplicar e continuar a sua obra), etc... 

 Picture11.jpg

Eu tive a oportunidade, na minha juventude, de participar em atividades do Movimento Salesiano (retiros para jovens, encontros, vivencia da espiritualidade de João Bosco). Fez muito sentido já que eu era uma jovem e São João Bosco viveu inteiramente para os jovens.

Mas na minha vida adulta não subscrevi este ou qualquer outro movimento. Fiquei alienada de tudo isto... muito magoada.

 

Percebi, tarde e a más horas, que ficar zangada com o Sr. Bispo, por ele ter aceite uma petição popular para mudar o Pároco da altura e envia-lo para Moçambique, não foi a melhor solução e atitude! Afinal o Pároco é sómente o mensageiro d`ELE. 

 

Tenho as melhores recordações do Padre Luís Gonzaga Belo. Gostava (gosto) muito dele! Ele fez tanto connosco (jovens)!

Foram teatros (com qualidade), foi levar-nos a retiros salesianos, foi participar-mos em encontros, foi dinamizar a catequese, foi constituir um grupo de oração através do Livro dos Salmos, foi apoiar um grupo da Laura Vicunha, etc....

Tanta coisa... dinamizado por um Padre que era jovem (anormal em Mogofores), e que usava meias com sandálias, para além de colocar o mostrador do relógio no lado do pulso. Ele não desistia de nenhum jovem de Mogofores! Foi o último Padre a viver na Casa Amarela (segundo o que me parece)!

 

Desapareci por diversos anos... (5 anos universitários e 7 anos de trabalho). Por isso não participei em  nenhum dos Encontros Mundiais da Juventude organizados pelo Santo Papa João Paulo II e ouvi/li sobre a sua Teologia do Corpo! Consequentemente, cometi imensos erros dos quais hoje (muito) me arrependo!

Ironia do destino... fiquei sentida por alguém ter retirado o mensageiro e consequentemente acabei por perder o mais importante.

Quantas coisas más eu fiz porque o meu namorado pediu! Quantas vezes eu traí os meus valores porque o meu namorado pediu! Menti, enganei, aldrabei, inventei, odiei. 

Regressei à igreja, depois de descobrir que a grande paixão tínha-me traído! Disse-lhe SIM a tudo e... recebi um grande pontapé! Bati no fundo do poço. 

Pouco a pouco fui descobrindo novamente a Lena (de 12 anos atrás). Encontrei um mundo novo, cheio de perdão, de surpresas, de amor de Deus! 

IMG_2903.jpg

Nem imaginas, cara amiga/amigo, como me sinto agradecida por Deus me dar uma segunda (grande) oportunidade e... encher a minha vida de tantas graças! 

 

Encontrei as Famílias de Caná.

Perguntaram-me: estás disposta a dar o teu SIM para Deus (EU e JESUS)? SIM, pois o resto são "balelas".

O que interessa é o hoje e o agora, para um futuro recheado de mudanças e vontade.

Para mim, fez todo o sentido.

Desde que subscrevemos, em família, temos tido diversas fases... de maior ou menor distanciamento. O que interessa é sermos verdadeiros e não desistirmos, pois ninguém é perfeito (afinal nem os Santos o são!)

Deus aceita TUDO. Deus é... egoísta pois quer todo o nosso amor e atenção, mas também é generoso e carente! Sim, carente. Basta um sentimento genuíno de arrependimento e de vontade sincera de O amar com todas as forças que Ele "derrete-se" todo...

 

Duvidas? És Mamã ou Papá? Se o és, então sabes... sentes a verdade.

 

12033_416245101777760_507090653_n.jpg

Cada movimento religioso tem o seu carisma, o seu "quê" diferente. Já tive a oportunidade (por diversos motivos) de conhecer 2 ou 3 movimentos.

Mas para mim, foram as Famílias de Caná que "tocaram na tal tecla".

Queres saber porquê? Lê o livro "A Alegria do Amor" do Papa Francisco.

 

O Sr. Padre José Augusto Fernandes foi um apoiante e grande impulsionador do movimento das Famílias de Caná, mas... vai embora de Mogofores por imposição superior!

(Ai ai ai... outra vez! Repete-se "a cena").

Desta vez sei melhor. Percebi e aprendi a lição!

O Sr. Padre José Fernandes foi um grande motor de mudança na minha vida, e pelo que me parece na vida de muitas pessoas.

Ele, sem dúvida que, depois da sua saída de Mogofores, é um homem mais perfeito. Deixa um grande legado!

Sr. Padre José Fernandes: cada vez que, ao domingo, tomar a estrada para o Santuário de Nossa Senhora de Auxiliadora de Mogofores pensarei em si. Que Deus o cubra de bênçãos todos os dias da sua vida! 

 

14
Abr16

Uma Família de Sangalhos em Missão

Helena Le Blanc
Num destes dias, uma casal de Sangalhos surpreendeu-me, e muito.

Conheci-os através do meu trabalho, e com os anos, foi surgindo alguma familiaridade e carinho.

O casal faz parte do Caminho Neocatecumenal e como meus irmãos da Igreja Católica sempre os respeitei e admirei.

Infelizmente, nem todas as pessoas compreendem este movimento. 

Este movimento foi aprovado, de forma definitiva, em 13 de Junho de 2008, e procurar que os seus membros aprofundem a Palavra de Deus, e que sejam testemunhas em missão. Como bem diz a palavra, têm um "caminho" para percorrer, com objetivos de aprendizagens, de interiorização e de vivências muito específicos e concretos.

Em 1990, e por aprovação do Papa João Paulo II, pela primeira vez organizam as Famílias em Missão. Estas famílias deixam o seu país, e aceitam ir para um determinado lugar/paróquia/país e reiniciarem a sua vida, com o principal propósito: evangelizar com o seu exemplo de dia a dia. Estes lugares são, a pedido dos Bispos, os sítios que não têm fiéis da Igreja Católica.

O Papa Francisco, em 2014, enviou mais de 400 famílias em missão.

Recentemente, voltou a repetir (cerca de 270 casais). Destes, um deles é este casal de Sangalhos. 

Neste momento já começaram os preparativos para a mudança.

Mas como? como é que isto aconteceu?

Eles gentilmente explicaram-me.

Houve uma primeira abordagem, e eles como tantos outros aceitaram. No entanto, sempre acharam que as probabilidades eram diminutas. O tempo foi passando e eles foram escrutinados, ou seja, analisados e sondados, e à medida que o tempo e as etapas passavam, eles continuavam no processo. Até que chegou o dia em que, por sorteio, foram selecionados. Eles e mais 2 casais portugueses. Nem queriam acreditar!

Mas... como...  Imagino as duvidas com que foram inundados. No entanto, decidiram confiar em Deus.

Foram convidados a irem ao Vaticano, na semana anterior ao domingo de ramos. Juntaram-se aos restantes casais nesta grande Missão. Experienciaram diversos momentos, como por exemplo irem, a pedido do Papa, à Virgem do Loreto, e serem sorteados relativo aos lugares de evangelização.

Explicaram-me que não irão sozinhos. São grupos de 5 casais para cada sítio com o apoio de um Padre. No caso deles, o Padre já está há pelo menos um ano na Paróquia para se ambientar e preparar a chegada destes casais.

Percebi que todos os passos e decisões carecem sempre da sua própria aceitação e da Igreja. Suponho que há critérios mínimos para que cada Missão tenha possibilidades de sucesso.

Esclareço que quando falam em famílias, é mesmo a família. Não falamos de casal mas da família. 

Uma coisa que achei muito curiosa é que em cada grupo há um casal líder, o que está no Caminho há mais tempo, e ao grupo é entregue uma relíquia de um Santo, também resultado de sorteio. No caso deles, calhou-lhes uma relíquia de uma Santa que está ligada ao sítio para onde vão (coincidência ou providência?).

A cada família o Papa entregou um crucifixo especial, para acompanhar e os identificar como Família em Missão.

IMG_1685.JPG

O cartão vermelho foi uma espécie de passe que receberam em Roma, para serem identificados e ocuparem os lugares previstos.

Foto do outro lado do crucifixo:

IMG_1687 copy.JPG

E se não der certo? Não há problema, voltam para a sua terra de origem. E se der certo, ficarão para sempre? Depende de uma pessoa: Deus! Só Deus sabe o que poderá acontecer!

 

Ofereceram-me estas recordações: 

IMG_1779.JPG

IMG_1781.JPGIMG_1782.JPG

Imagino que não terá sido nada fácil para esta Família perceber que afinal... irão mesmo em Missão! Deixou de ser um "sonho romântico" para ser a realidade! Suponho que não terá sido bem aceite pela família, ou pelos amigos, colegas de trabalho, grupos de interesses, irmãos da mesma Igreja! Como admiro a sua coragem, decisão e confiança!

Mas esta grande surpresa fez-me questionar a minha própria missão. Tenho eu tido a coragem para responder às solicitações de Deus, sem vergonhas ou preconceitos?

Esta família aceitou. Tenho eu aceite e desenvolvido a minha missão? Não me é pedido para fazer uma mudança tão grande, mudar de país por um motivo religioso e não por questões conflituosas (refugiados) ou económicas ("emigração convencional").

Pois não. Mas eu tenho uma missão. Deus, antes de eu nascer humana, já me conhecia! Tem a expetativa de, em retribuição de todo o seu amor, que eu tire todo partido das potencialidades que determinou em mim. Tenho eu feito render aos meus talentos em prol da minha família e dos outros?

Amigos, Família em Missão, agradeço-Vos pelo Vosso exemplo de confiança e coragem!

 

Um vídeo de toda cerimónia com o Papa: 

 

Sigam-me

Comentários recentes

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

Mais sobre mim

foto do autor