Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

as surpresas de DEUS!

uma cristã católica com sérias dificuldades no caminho da Santidade!!!

as surpresas de DEUS!

uma cristã católica com sérias dificuldades no caminho da Santidade!!!

1 de Maio de 2016

04.05.16, Helena Le Blanc
Este ano o dia 1 de Maio foi, no mínimo, perfeito! Dia da Mãe e primeiro dia dia de Maio, o mês dedicado à nossa mãe do Céu.  Eu tive a oportunidade de ir às Primeiras Comunhões das Crianças de Sangalhos. Gostei muito da cerimónia, em que toda a comunidade participou nesta festa. Estava cheia de simbolismos muito interessantes! As crianças, no final, consagraram-se a Nossa Senhora oferecendo-lhe uma rosa branca. Colocaram a rosa na pia baptismal! A minha família esteve em (...)

Retiro de Natal: FATIMA!

28.12.15, Helena Le Blanc
Uma excelente forma de terminar o Natal em beleza e de começar o ano novo com o "pé direito": participar num retiro das Famílias de Caná! Ter a oportunidade de ouvir falar, por um bocadinho, de coisas que eu não sei e que poderão ser muito importantes para a felicidade da minha família, para além de conviver com outras famílias, conhecer pessoas e lugares, ou até ter somente o simples prazer de passear, é de agarrar com ambas mãos. Nós tínhamos "n" de preconceitos relativo a (...)

Será que hoje é o dia dos cemitérios?

01.11.15, Helena Le Blanc
Ontem a noite foi longa e bonita. Tivemos o prazer de receber várias visitas, de miúdos e graúdos! Acabamos a noite fazendo uma castanhada no jardim, com fogueira e tudo! Agradeço todos que tiveram a amabilidade e a gentileza de nos visitar e juntarem-se à festinha! Foi quase dois em um: halloween e magusto! Castanhas e moscatel! Máscaras e abóboras! Nós divertimo-nos tanto! (...)

Halloween? E porque não?

31.10.15, Helena Le Blanc
E porque não brincar ao Halloween? Há cerca de duas semanas, cheguei a casa e vi umas tangerinas (estranhas) no meu muro!  O meu marido explicou-me que este ano decidiu tomar em mãos esta ocasião.  Há uns anos atrás tocaram na nossa campainha de casa (ainda morávamos em Aveiro) e eu não tinha nada para dar. Senti-me péssima por aquelas (...)