Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

as surpresas de DEUS!

Aprendemos, vivemos e partilhamos a nossa Fé.

as surpresas de DEUS!

Aprendemos, vivemos e partilhamos a nossa Fé.

19
Set17

A cruz do cântaro perseguiu-me!

Helena Le Blanc

Numa catequese nós falamos da história de Gedeão.

Gedeão, segundo o livro dos Juízes na Bíblia (capítulos 6 e 7), era um rapaz simples, muito simples, e Deus, ao responder às orações do seu Povo, escolheu-o para os salvar.

IMG_9712-001.JPG

Para espanto de todos foi este simples, muito simples rapaz, novo e fraco, que os realmente salvou recuperando a terra prometida.

 

- "Meu Senhor, como posso salvar Israel?"

- "Eu estarei contigo e tu derrotarás os mandianitas (os inimigos) como se fossem um só homem!"

 

Assim, porque ele confiou em Deus, foi para a batalha com 300 homens, e pelo poder de Deus ele ganhou. O seu nome ficou na história, não porque tinha grande talento enquanto comandante de tropas, mas porque ouviu Deus e fez tudo o que ele lhe mandou.

Assim, à meia-noite, ao render das sentinelas, os inimigos, "numerosos como gafanhotos", apanharam um grande susto: os trezentos Israelitas, ao sinal de Gedeão, tocaram ao mesmo tempo as suas trombetas (na mão direita), quebraram os seus cântaros no chão levantando as suas tochas (na mão esquerda).

 

A confusão instalou-se no acampamento, ouvindo-se berros e correrias. Fugiram.

Foi assim que, sem saírem dos seus lugares e sem terem morto sequer uma unica pessoa, os Israelitas e o pequeno e jovem Gedeão venceram uma batalha recuperando as suas terras.

Esta evangelização, do livro dos Mistérios da Fé Volume 2, começa na pagina 88, sob o titulo "O cântaro quebrado - de Gedeão ao Tabor, foi desenvolvida em duas sessões catequéticas.

Na primeira, e depois de contar a história, através da sua leitura na bíblia, e compreendermos, cada um tomou para si um cântaro. Deveriam torná-lo seu através de decoração.

IMG_9663-001.JPG

IMG_9684-001.JPG

No final levaram-no para casa.

Na catequese seguinte trouuxeram-no.

No início pedi que mo entregassem para eu coloca o mesmo em "exposição", no cima do muro. 

IMG_9831-001.JPG

Depois continuamos a nossa aprendizagem: a transfiguração de Jesus!

IMG_9834-002.JPG

Tal como o cântaro que ao quebrar-se mostrou o que continha o seu interior (uma luz intensa) tendo afugentado os inimigos, também Jesus convidou, numa noite, os seus amigos a espreitarem para dentro do seu cântaro. Passados uns dias ele iria se deixar "quebrar" para revelar aos homens a sua verdadeira essência.

Assim percebemos que há um segundo mundo paralelo: o mundo espiritual... onde todos nós ficaremos eternamente (o invisível). Opções disponíveis nessa outra realidade: inferno, purgatório e paraíso! 

Onde ficarei? Justiça divina: consequências dos meus atos no mundo físico.

Mas isto tudo só é possível porque Jesus abriu uma porta, um caminho! Oferecendo a sua vida permitiu que eu, depois da morte, chegasse a esta segunda realidade, para.... recolher os frutos das minhas ações: o meu tesouro!

IMG_9839-001.JPG

Partimos o nosso cântaro e... este revelou a nossa luz (tal como Gedeão e os seus 300 homens que sem espadas venceram 24 mil homens), o nosso caminho, a nossa verdade!

IMG_9850-001.JPG

IMG_9857-001.JPG

E efetivamente (com surpresa) estes pré-adolescentes quebraram o cântaro que com cuidado tinham decorado e guardado durante uma semana. Ao fazerem-no descobriram um lenço de papel que guardava um coração com uma cruz. (Sorrateiramente eu tinha escondido em cada cântaro à medida que os tinha colocado no muro em "exposição".)

IMG_9823-001.JPG

Tendo eu também participado nesta atividade, guardei o meu coração com a minúscula cruz no bolso das minhas calças de jeans. Esqueci.

Passados uns 2 meses vejo um coração vermelho com uma cruz no balcão de atendimento de um dos edifícios do meu trabalho. Fico muito espantada porque aquilo era familiar... mas no meu trabalho?????

Eu não estava a perceber como é que aquilo tinha aparecido ali! E fez-se luz: o meu! Eu tinha ficado com um num bolso das minhas calças. Ok! 

IMG_9647-001 (3).JPG

Perguntei à pessoa responsável como é que aquilo tinha chegado ali. Respondeu-me que alguém tinha encontrado no corredor (onde passam muitas pessoas).

Ok.

Voltei a guardar, e a esquecer!

Passados mais uns meses encontro o mesmo coração e a mesma cruz em cima da minha secretaria em casa. Eu fico a olhar outra vez!

- Eu não acredito! - Exclamei em viva voz! Como é que um coração de 3 cms, com uma cruz de 2 cms cosida ao papel estava ali e não se tinha perdido?!?!

DSC_0404-001 (1).JPG

Senti-me envergonhada e muito surpresa: durante pelo menos 6 meses aquela cruz do cântaro perseguiu-me! 

E esta hem?!

Só me resta dizer: agora estão muito bem guardados comigo.

27
Ago16

A solução de Deus

Helena Le Blanc

Um dia, um carpinteiro decidiu criar uma coisa muito especial com a sua madeira: um menino-boneco. Um feito extraordinário nunca visto. Com corpo e alma como se fosse uma criança normal. E tal como todas as outras crianças, tinha que ser cuidado e educado. O seu pai, o carpinteiro, adorava esta sua criação.

Acontece que este menino-boneco, a determinada altura, achou que era perfeito, maravilhoso, que poderia suplementar em inteligência o seu pai. Portanto, decidiu ignorar todos os avisos e regras, lançando-se no mundo exterior. Usou toda a sua liberdade e capacidades para fazer o que bem entendia, achando que estava a ser o maior. Mas a vida é um conjunto de ações/reações, atos e consequências. Como tal, o menino-boneco começou a recolher o que tinha semeado. No meio do sofrimento tentou regressar a casa do seu querido pai mas estava perdido. Não conseguia encontrar o caminho de casa. 

O seu pai, cheio de saudades, sofria por esta sua criação. Amava-o muito. Mas como é que poderia ajudar o seu menino a voltar a casa?

Como?

 

Deus  pensou numa solução para não perder eternamente a sua criação: construir uma ponte entre Ele e a humanidade em que Ele próprio viria ao mundo, na Segunda pessoa da Santíssima Trindade: Jesus Cristo.

"Não nasceu um novo ser. O Deus preexistente é materializado no espaço e no tempo".*

O Filho de Deus "se fez carne" - a encarnação. Ele nasceu imaculadamente de Maria e do Espírito Santo, com natureza humana e natureza divina. Assim, com um corpo humano assumiu todas as qualidades e condições à excepção do pecado, pois afinal continuava a ser Deus, agora presente em Israel há cerca de (mais ou menos) 2 mil anos atrás.

IMG_4336 (1).JPG

Jesus Cristo foi "um homem perfeito em toda a sua vida terrestre, tornando-se modelo e exemplo de uma vida autêntica e saudável."* Na bíblia são 4 os livros que descrevem esta passagem, com muitos ensinamentos e milagres, culminando no seu "auto sacrifício" (a expiação).

O Deus-Homem deixou-se sofrer horrores e experiênciar a morte na cruz, a mais ignóbil forma de morrer na altura. Sentiu todas as dores e mais alguma como homem mortal. No entanto ele era Deus, o todo poderoso, transcendente e eterno.

Porquê?

Seria necessário um motivo muito forte para que assim acontecesse. Jesus Cristo, na véspera da sua condenação, num momento a sós com o seu Pai, exclamou:

"Pai, se quiseres afastar de mim essa taça... No entanto, não se faça a minha vontade, mas a tua". (Lc, 22, 42-44)

Depois, São Lucas continua assim: "Tomado de angústia, ele rezava mais intensamente, e o seu suor se tornou como coágulos de sangue que caíam por terra".

IMG_5010.jpg

Consigo imagina-me num momento similar? Não, nem pensar.

Ele, filho de Deus, ficou em pânico antevendo toda a dor e sofrimento que iria sentir até ao fim... Então porquê tudo isto? Porquê é que era necessário este auto sacrifício?

 

Expiação - ato de auto sacrifício através do qual Deus apaga todas as ofensas da humanidade contra si e liberta a humanidade do mal e das consequências do pecado.

Auto sacrifício de Jesus Cristo - manifestação suprema de amor e perdão num mundo em decadência.

IMG_5032-001.jpg

Jesus Cristo, Filho de Deus, Terceira Pessoa da Santíssima Trindade, encarnado em corpo humano, vive exemplarmente ensinando e fazendo milagres. Isto não foi suficiente? Pois.... não.

Não nos podemos esquecer que a humanidade a determinada altura da sua existência ofendeu Deus, com a pretensão de ser igual ou maior que ele. Como? Ignorando a Lei de Deus e, consequentemente fazendo uso do poder que Deus lhe deu sem limites ou medidas.

Desde essa altura que a humanidade, depois da sua morte física, ficou aprisionada na "Morada dos Mortos", o Inferno, o Hades. Os bons e maus ficaram prisioneiros nesta realidade. Todos tinham a marca do pecado original, desde o nascimento até à sua morte.  "Privados da visão de Deus" estavam sob o domínio do Diabo.

Portanto parece-me que para reparar ou repor tamanha ofensa e consequências, Jesus Cristo teria que fazer uma coisa extraordinária, mais poderosa que os milagres de cura ou de transformação. E o que poderia ser? O que é que um humano têm de mais precioso? A sua saúde, a sua vida. Assim, Jesus só poderia ter feito uma coisa: doar-se inteiramente por amor.

IMG_4975.jpg

(Isto lembra uma parte da história do Harry Potter, em que a mãe para o salvar oferece a sua vida, ficando este sacrifício de amor marcado na sua áurea, servindo como proteção para determinados males.)

 

Jesus morreu e desceu à "Morada dos Mortos" anunciando a Boa Nova: o Filho do Homem veio salvar, libertar, todas as almas boas e justas presas naquela lugar. Jesus "foi acordar os que dormiam desde séculos."**

"Eu sou a Vida dos mortos".**

No terceiro dia ressuscita dos Mortos.

 

 

Carl-Heinrich-Bloch-The-Resurrection.JPG

 Pintura de Carl Heinrich-Bloch

 

Pela primeira vez, há mais ou menos dois mil anos atrás, as portas da "Casa do Pai" abriram-se por Jesus Cristo para que os justos que o haviam precedido, entrarem e finalmente descansarem em comunhão com o seu Criador.  

O Deus-Homem ressuscita em corpo e alma. Ele, que tinha "saído do Pai", regressa ao Pai. 

 

Morte - separação do corpo e da alma;

Ressurreição - união do corpo e da alma. 

 

Concluindo, o Filho de Deus não poderia ter feito por menos: Ele através da sua Morte liberta-nos do pecado, e pela Ressurreição abriu-nos as portas do Céu para uma vida de felicidade eterna.

 

 

E é assim que "com um cajado se matam dois coelhos"!

E esta heim?!

 

 

 

* in "Cristianismo - Guia ilustrado dos 2000 anos da fé cristã", de Ann Marie B. Bahr, Editora h.f.ullmann, de 2009;

** in Catecismo da Igreja Católica, de 631 a 667, Edição Típica Vaticana, Edições Loyola, 1997

 

 

Sigam-me

Comentários recentes

  • Anónimo

    O senhor de cima tem razão. “Instrumentum laboris...

  • deficientedonadecasa

    A família é o que temos de dar valor na vida, é o ...

  • Helena Le Blanc

    Caro Sr. António Antes de mais obrigada por ter co...

  • Anónimo

    Não concordo nada. O celibato dos padres é uma reg...

  • Teresa Power

    Vou comentando aos bocadinhos, desculpa ocupar-te ...

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

Mais sobre mim

foto do autor