Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

as surpresas de DEUS!

uma cristã católica à procura do colinho do SENHOR!

as surpresas de DEUS!

uma cristã católica à procura do colinho do SENHOR!

A herança de uma religião!

Junho 08, 2018

Eu poderia dizer: "Estou perdida!" ou "Estou confusa! Não sei o que pensar!"

 

A Vida apresenta-nos acontecimentos, surpresas, que muitas vezes nos tiram o "norte". Acho que todos nós já sentimos essa sensação. Eu, pelo menos, já o senti, e muitas vezes. Posto isto e retomando as minhas primeiras palavras, eu digo: Deus baralha-me imenso! ELE consegue lançar a confusão quando eu menos espero, da forma mais inesperada possível e pela qual não consigo deslumbrar nenhum desfecho!

Eu digo isto porque sou católica, crente em Deus-Pai, Deus-Filho e Deus-Espírito Santo. E esta minha crença foi herdada, tal como herdei a cor do meu cabelo, a minha cor de pele, o meu país, a minha língua, a minha cultura!

Obviamente que nesta herança há partes que ainda não se podem escolher, pelo menos utilizando os métodos tradicionais de conceção, e outras que não se podem mesmo escolher e que estão entranhadas na família. Mas há a parte da crença que efetivamente se pode escolher (nos tempos de hoje): escolher dizer que sou católico mas não praticante; escolher dizer que se fez tudo o que havia a fazer na Igreja mas não se acredita; escolher dizer que não sabe muito bem...

É bom poder-se escolher e decidir, mas também é muito bom confiar... confiar nos nossos ancestrais que viveram mais do que nós; que sobreviveram a muito e que, no mínimo, para isso não foram nada burros.... pelo menos menos burros que nós somos hoje.

Herdei, aceitei, mas sem quase nada perceber: simplesmente confiei. Durante a minha catequese fiquei a conhecer Jesus... Cresci com Ele pois literalmente foi o meu amigo secreto. Amava-o muito. Mas a determinada altura, no final da adolescência fui-me esquecendo dele... em prol de outro tipo de afetos...

Afastei-me durante vários anos da Igreja Católica, não aceitando as suas regras e a sua hierarquia pesada! Regressei quando percebi que na Vida eu sentia-me perdida, confusa, dia após dia, sem objetivo final, sem esperança...

No início foi um somente retomar de velhas, mas familiares, rotinas... Ir à missa todos os domingos: uma hora por semana. Não me fazia sentir pior, mas também não me fazia sentir "renascida", especial, maravilhosa, etc...

Com o passar do tempo, de forma quase despercebida, começaram surgir pequenas coisas, algumas até irónicas. Por ex: um convite da minha mãe para ir com ela ao jantar de despedida do Sr. Pároco - o mesmo que enquanto iniciava o seu trabalho na Paróquia eu saía dela.

Tornou-se interessante para mim rever as pessoas da minha comunidade: umas tinham-se casado, outras já tinham filhos... Em cada missa revia (ao longe) alguém diferente.

E passo a passo, naqueles meses, Maria (soube eu mais tarde) dirigia os meus passos para a Comunidade (Paróquia) e para o seu filho. Mas foi Deus que encontrei... aprendi tanto sobre Ele e a sua Igreja ao longo destes anos! 

 

Muitos dizem "que há coincidências". Eu digo que há Deus-Pai nas nossas vidas. Poderemos (na maior parte das vezes) não perceber o que nos está a acontecer e do seu porquê, mas é Deus e o seu imenso amor por cada um de nós! Continuo a ter bons e maus momentos como toda a gente mas não me sinto perdida, sem o "norte". Saber que há um porquê, um propósito, o grande amor de Deus por mim, faz com que eu viva com garra, com alegria, com confiança e felicidade.

Se tu um dia parares (parar mesmo), olhares para trás e relembrares cada acontecimento, cada episódio da tua vida, como se de um filme se tratasse, o teu coração saberá a verdade.

E a real questão colocar-se-á: será que a tua cabeça terá a coragem para reconhecer essa verdade?

 

Xavier foto casamento Preto e Branco.JPG

 

A solução de Deus

Agosto 27, 2016

Um dia, um carpinteiro decidiu criar uma coisa muito especial com a sua madeira: um menino-boneco. Um feito extraordinário nunca visto. Com corpo e alma como se fosse uma criança normal. E tal como todas as outras crianças, tinha que ser cuidado e educado. O seu pai, o carpinteiro, adorava esta sua criação.

Acontece que este menino-boneco, a determinada altura, achou que era perfeito, maravilhoso, que poderia suplementar em inteligência o seu pai. Portanto, decidiu ignorar todos os avisos e regras, lançando-se no mundo exterior. Usou toda a sua liberdade e capacidades para fazer o que bem entendia, achando que estava a ser o maior. Mas a vida é um conjunto de ações/reações, atos e consequências. Como tal, o menino-boneco começou a recolher o que tinha semeado. No meio do sofrimento tentou regressar a casa do seu querido pai mas estava perdido. Não conseguia encontrar o caminho de casa. 

O seu pai, cheio de saudades, sofria por esta sua criação. Amava-o muito. Mas como é que poderia ajudar o seu menino a voltar a casa?

Como?

 

Deus  pensou numa solução para não perder eternamente a sua criação: construir uma ponte entre Ele e a humanidade em que Ele próprio viria ao mundo, na Segunda pessoa da Santíssima Trindade: Jesus Cristo.

"Não nasceu um novo ser. O Deus preexistente é materializado no espaço e no tempo".*

O Filho de Deus "se fez carne" - a encarnação. Ele nasceu imaculadamente de Maria e do Espírito Santo, com natureza humana e natureza divina. Assim, com um corpo humano assumiu todas as qualidades e condições à excepção do pecado, pois afinal continuava a ser Deus, agora presente em Israel há cerca de (mais ou menos) 2 mil anos atrás.

IMG_4336 (1).JPG

Jesus Cristo foi "um homem perfeito em toda a sua vida terrestre, tornando-se modelo e exemplo de uma vida autêntica e saudável."* Na bíblia são 4 os livros que descrevem esta passagem, com muitos ensinamentos e milagres, culminando no seu "auto sacrifício" (a expiação).

O Deus-Homem deixou-se sofrer horrores e experiênciar a morte na cruz, a mais ignóbil forma de morrer na altura. Sentiu todas as dores e mais alguma como homem mortal. No entanto ele era Deus, o todo poderoso, transcendente e eterno.

Porquê?

Seria necessário um motivo muito forte para que assim acontecesse. Jesus Cristo, na véspera da sua condenação, num momento a sós com o seu Pai, exclamou:

"Pai, se quiseres afastar de mim essa taça... No entanto, não se faça a minha vontade, mas a tua". (Lc, 22, 42-44)

Depois, São Lucas continua assim: "Tomado de angústia, ele rezava mais intensamente, e o seu suor se tornou como coágulos de sangue que caíam por terra".

IMG_5010.jpg

Consigo imagina-me num momento similar? Não, nem pensar.

Ele, filho de Deus, ficou em pânico antevendo toda a dor e sofrimento que iria sentir até ao fim... Então porquê tudo isto? Porquê é que era necessário este auto sacrifício?

 

Expiação - ato de auto sacrifício através do qual Deus apaga todas as ofensas da humanidade contra si e liberta a humanidade do mal e das consequências do pecado.

Auto sacrifício de Jesus Cristo - manifestação suprema de amor e perdão num mundo em decadência.

IMG_5032-001.jpg

Jesus Cristo, Filho de Deus, Terceira Pessoa da Santíssima Trindade, encarnado em corpo humano, vive exemplarmente ensinando e fazendo milagres. Isto não foi suficiente? Pois.... não.

Não nos podemos esquecer que a humanidade a determinada altura da sua existência ofendeu Deus, com a pretensão de ser igual ou maior que ele. Como? Ignorando a Lei de Deus e, consequentemente fazendo uso do poder que Deus lhe deu sem limites ou medidas.

Desde essa altura que a humanidade, depois da sua morte física, ficou aprisionada na "Morada dos Mortos", o Inferno, o Hades. Os bons e maus ficaram prisioneiros nesta realidade. Todos tinham a marca do pecado original, desde o nascimento até à sua morte.  "Privados da visão de Deus" estavam sob o domínio do Diabo.

Portanto parece-me que para reparar ou repor tamanha ofensa e consequências, Jesus Cristo teria que fazer uma coisa extraordinária, mais poderosa que os milagres de cura ou de transformação. E o que poderia ser? O que é que um humano têm de mais precioso? A sua saúde, a sua vida. Assim, Jesus só poderia ter feito uma coisa: doar-se inteiramente por amor.

IMG_4975.jpg

(Isto lembra uma parte da história do Harry Potter, em que a mãe para o salvar oferece a sua vida, ficando este sacrifício de amor marcado na sua áurea, servindo como proteção para determinados males.)

 

Jesus morreu e desceu à "Morada dos Mortos" anunciando a Boa Nova: o Filho do Homem veio salvar, libertar, todas as almas boas e justas presas naquela lugar. Jesus "foi acordar os que dormiam desde séculos."**

"Eu sou a Vida dos mortos".**

No terceiro dia ressuscita dos Mortos.

 

 

Carl-Heinrich-Bloch-The-Resurrection.JPG

 Pintura de Carl Heinrich-Bloch

 

Pela primeira vez, há mais ou menos dois mil anos atrás, as portas da "Casa do Pai" abriram-se por Jesus Cristo para que os justos que o haviam precedido, entrarem e finalmente descansarem em comunhão com o seu Criador.  

O Deus-Homem ressuscita em corpo e alma. Ele, que tinha "saído do Pai", regressa ao Pai. 

 

Morte - separação do corpo e da alma;

Ressurreição - união do corpo e da alma. 

 

Concluindo, o Filho de Deus não poderia ter feito por menos: Ele através da sua Morte liberta-nos do pecado, e pela Ressurreição abriu-nos as portas do Céu para uma vida de felicidade eterna.

 

 

E é assim que "com um cajado se matam dois coelhos"!

E esta heim?!

 

 

 

* in "Cristianismo - Guia ilustrado dos 2000 anos da fé cristã", de Ann Marie B. Bahr, Editora h.f.ullmann, de 2009;

** in Catecismo da Igreja Católica, de 631 a 667, Edição Típica Vaticana, Edições Loyola, 1997

 

 

Por falar em Liberdade, IREI EU VOTAR?

Janeiro 23, 2016

Hoje celebra-se o Dia Mundial da Liberdade!

Em Portugal, comemoramos noutro dia do calendário (25 de Abril)!

Mas não gostaria de deixar passar esta data sem partilhar um momento recente.

Num certo dia, uma colega de trabalho veio falar comigo. A determinada altura, ela pergunta-me se conheço Alberto Camus, e diz-me que uma das suas frases favoritas é deste autor:

 

"Somos responsáveis por aquilo que fazemos,

o que não fazemos,

e o que impedimos de ser feito."

 

Nas vésperas de um ato eleitoral, que depois dos resultados das legislativas de Outubro, em que lançou o país numa confusão (acho que metade de Portugal gostaria de poder andar para trás no tempo), tenho que considerar que talvez tenha aqui uma mensagem de Deus em vez de uma surpresa.

Deus tem a capacidade de, no seu absoluto poder, alterar e intervir, em qualquer momento, o livre curso dos acontecimentos e da história (que obedece ao princípio da Ação e Reação ou da Lei Causa e Efeito). Isto chama-se Divina Providência. Apesar do direito do livre arbítrio que nasce com cada humano, Deus pode influenciar os acontecimentos. Já tinha falado nisto antes.

Portanto, e se eu não votar? Porque afinal tudo é a mesma coisa, mais vale cruzar os braços, certo? 

Deus poderá também, tal como eu, cruzar os braços! A principal implicada (eu) cruzo os braços então ele também não têm nenhum motivo para "influenciar" os acontecimentos.

Eu só percebi isto à pouco tempo!

Tenho a impressão ainda há muitos cristãos de braços cruzados, e que (ainda) não perceberam!

Assim, eu irei votar amanhã na pessoa que, na minha opinião, tem os melhores atributos para Presidente da Republica e que com certeza defenderá a Democracia, os Direitos Humanos, a Justiça, a Liberdade e a Equidade.

 

IMG_0458.JPG

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

Mais sobre mim