Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

as surpresas de DEUS!

O nosso diário: aprendemos, vivemos e partilhamos a nossa Fé.

as surpresas de DEUS!

O nosso diário: aprendemos, vivemos e partilhamos a nossa Fé.

16
Set17

A Fé traumatiza a criança?

Helena Le Blanc

De vez em quando assaltam-me algumas duvidas quando vejo pequenos sinais da nossa Fé no meu filho.

Por exemplo, neste verão ele esteve com uma jovem amiga durante uma semana cá em casa. Brincou muito com ele e fizeram diversas atividades. Em alguns dias, quando chegava a casa, tinha surpresas à minha espera:

IMG_6646-001.JPG

Bem, neste caso foi uma surpresa para o Pai, a sua prenda de anos.

Mas tive mais, por exemplo esta:

IMG_6623-001.JPG

Entre outras, o que chamou mais atenção foi isto:

IMG_6528-001.JPG

IMG_6529-001.JPG

Nessa noite o nosso canto de oração ficou assim:

IMG_6534-001.JPG

Como é que um menino de 4 anos tem estas iniciativas? Porque a sua família tem muito presente a sua Fé no seu quotidiano e na sua casa.

Mas é normal este tipo de iniciativa? Será saudável que a criança seja rodeada assim de tantos sinais e vivências?

São as tais dúvidas que de vez em quando me assaltam. Não irá ele um dia ficar "enjoado", "farto", "traumatizado"?

Quando as crianças têm este tipo de iniciativas normalmente foi porque o Catequista, o Padre ou outro adulto pediu. Mas o meu filho lembrou-se de escrever também o nome de Jesus numa pedrinha, tal como tinha feito já com os nossos nomes, e colocar no nosso canto de oração porque na nossa família o Pai, a Mãe, a televisão, os brinquedos, a patrulha pata, etc.. têm a mesma importância que têm Jesus, a nossa Fé, a nossa Oração, o nosso Deus. Tudo é importante, um bocadinho de cada, sendo certo que os valores que Deus nos pede para vivenciar, ensinados por Jesus Cristo, terão que ser o mais importante de tudo. Isto chega-nos através de desenhos animados adequados, brincadeiras, jogos, histórias... por ex. as histórias da bíblia que são tão boas como as histórias "tradicionais".

Isto é o que eu acredito apesar das minhas dúvidas (típicas de mãe).

A nossa casa têm coisas que nós gostamos. Um exemplo disso é a cor verde com que pintamos o interior da nossa casa. E se eu amo Deus tenho que necessariamente expressar isso nas coisas que me rodeiam, seja em minha casa, no meu carro, na minha carteira, nos meus livros, no meu facebook...

O meu filho vai absorvendo inconscientemente todos estes sinais, e como tal vai fazendo sentido para ele a nossa Fé, já que vamos à Missa todos os domingos, benze-mo-nos todos os dias com água benta, agradecemos as coisas boas do dia, rezamos Avé-Marias e Pai- Nossos (neste caso ele é o encarregue de contar), lemos histórias da bíblia, temos a Cruz da nossa salvação cá em casa, etc...

Outro exemplo que me ocorre: os clubes de futebol. Cedo as crianças sabem qual o club favorito dos pais e aprendem a "torcer" por esse club. Para os rapazes faz sentido particarem futebol porque esse desporto, esse gosto, está presente (de diversas formas) na família. As crianças ficam traumatizadas por causa do futebol? 

Num dia destes, e junto de um casal amigo com quem ele passou o fim de semana, ao ver uma cruz alta na estrada fez o seguinte comentário:

 

- A minha mãe iria gostar muito desta cruz!

 

E isto é um comentário saudável, não de uma criança "traumatizada" pelos pais e pela sua vivência na Igreja Católica.

Por isso é que, em tempos de reinício de catequese, sinto-me muito triste quando percebo junto das crianças que a catequese não faz sentido para elas. Percebem o que se diz e ensina, mas não têm nenhum resultado pratico nas suas vidas porque a família não vive a sua Fé. 

A missa, a catequese, os ensaios para a Primeira Comunhão e Crisma, etc... tudo isso é difícil para as crianças e jovens porque quando olham para os seus pais, verificam que o que andam a fazer são formalidades e festas, e é assim que vão aprendendendo o que quer dizer "hipocrasia", "mentira", "estar no social", "beleza"... Por sua vez os adultos vão se queixando como são os jovens de hoje!

 

Confio em Deus completamente. Sei que o seu amor por nós é inamaginável (para os nossos sentidos humanos), e que vai estar sempre ao lado do meu filho, nos bons e maus momentos eternamente. Porquê?

Porque Deus pensou-o, criou-o e entregou-me no meu seio. Ele era seu filho antes de ser meu. Eu faço o meu papel de mãe, de guardiã do tesouro mais precioso ao cimo da terra. Mas tenho que fazer mais para além disso: tenho que lhe dar a conhecer o seu verdadeiro Pai, a verdade da sua existência!

 

"Sim! Pois Tu formaste os meus rins,

Tu me tecestes no seio materno.

Eu te agradeço por tão grande prodígio,

e maravilho-me com as tuas maravilhas!"

 

(Salmo 139/138 - É Deus quem revela quem somos)

15
Jun16

Uma coisa tão simples!

Helena Le Blanc

Surpresa do dia: o meu filho oferece-me uma flor!

Não é a primeira vez que o Xavier oferece-me flores... com a ajuda de alguém ( o Pai, a Educadora de Infância, a Ajudante de Ação Educativa, etc...)

Desta vez, foi diferente. Os avós foram buscá-lo para passar o dia com eles. Mais tarde fui ter com eles para almoçar e... esperava-me uma surpresa: o meu filho tinha cortado um jarro para me oferecer.

IMG_3315.JPGXavier -  É para ti, Mamã!

Eu - Ai sim? Que lindo. É um jarro!

Xavier - Pois é! Têm a forma de um coração!

Eu - ...

Sinceramente, nunca tinha reparado nesse pequeno (grande) detalhe!

Fiquei surpresa e "babada"!

IMG_3316.JPG

Nesse dia à noite disse ao meu filho tinha colocado a flor no nosso cantinho de oração.

Ora vejam:

IMG_3332.JPG

Ele não concordou totalmente, e corrigiu a posição da jarra.

Ora vejam:

IMG_3333-001.JPG

Perceberam qual é a diferença?

Eu tinha colocado o jarro junto de Maria, a Nossa Mãe do Céu. Ele ao perceber isso disse-me categoricamente que a flôr era para Jesus, e aproximou a jarra da Cruz. 

Eu... (pela segunda vez)  fiquei sem resposta!

 

 

 

04
Abr16

Como se ensina a ACREDITAR?

Helena Le Blanc

Há relativamente pouco tempo ouvi uma coisa que deixou-me a matutar (mais uma)! E até hoje, depois de pensar, cheguei à seguinte conclusão:

 - As crianças herdam a religião dos seus pais, das suas famílias. Aprendem, participam e experienciam os diversos ritos de culto dessa religião. Mas uma coisa que não se consegue fazer é "ensinar a acreditar". Em nenhuma das religiões, por muitas explicações científicas que haja, o facto é que o FATOR mais importante da equação, o ACREDITAR, não é possível de ser ensinado.

 

ACREDITAR, na religião cristã católica, é efetivamente ter FÉ. De forma voluntária eu escolho receber a graça da Fé, que abre os olhos do meu coração para a verdade divina. Deus é bondoso, caridoso e generoso (misericordioso) mas tal como todos os Pais exige: acredita.

 

Então como se faz isto? Como se passa de um estado para o outro?

 

No caso de crianças, quem tem que acreditar não são as crianças mas a família, os pais. As crianças e jovens acreditam porque sentiram, perceberam e confirmaram que os seus pais e/ou família ACREDITAM. Falo de acreditar do fundo do coração, nos bons e maus momentos, para o que der e vier!

 

No caso dos adultos, temos duas possibilidades: a Fé que testemunharam dos seus pais e/ou família e/ou... um acontecimento, um sentimento, uma etapa, um conjunto de circunstâncias, uma coincidência........ da única e exclusiva autoria de Deus. Se qualquer adulto se dispuser a ouvir, a pesquisar sem compromisso, a abrir meia porta, a considerar ler um pouco... Deus fará o resto! Acreditem que esta é a pura verdade! 

 

No caso dos adolescentes, bem... estes têm um estatuto especial! Temos necessariamente de confiar no testemunho verdadeiro e real dos seus pais... uma semente. E como qualquer semente, crescerá e muito, independentemente das intempéries e secas! Poderá acontecer aos 18, 20, 25, 30, 35, 40, 45, 50 anos etc....

Atenção: só será uma semente válida e forte em igual circunstâncias da Fé que testemunharam dos seus pais e/ou família.

 

Porque é que eu acredito? AQUI.

 

"Todo aquele que se declarar por mim diante dos homens, também eu me declararei por ele diante de meu Pai que está nos céus. Aquele, porém, que me renegar diante dos homens também o regenerei diante de meu Pai que está nos céus" (Mt 10, 32-33).

 

IMG_1322-001.jpg

 

Ontem ouvi alguém fazer a seguinte pergunta: 

- Tens dois prémios: o prémio da lotaria e entrar no Reino de Deus para toda a eternidade.

Qual deles é que escolhes?

 

Sigam-me

Comentários recentes

  • Anónimo

    Regular updates to the countdown to the Day of the...

  • Helena Le Blanc

    Ola!Obrigada Sr./Sr.ª Desconhecido(a).Vou dar notí...

  • Anónimo

    Mudou-se para o sapo e nunca mais escreveu?Dê notí...

  • Bruxa Mimi

    Boas leituras, Lena!Bjs,Mimi

  • Anónimo

    Bela ideia! Acho que o senhor padre este ano quer ...

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Mais sobre mim

foto do autor