Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

as surpresas de DEUS!

uma cristã católica com sérias dificuldades no caminho da Santidade!!!

as surpresas de DEUS!

uma cristã católica com sérias dificuldades no caminho da Santidade!!!

O Papa e o Patriarca. O que é que se passa?

12.02.16, Helena Le Blanc

O Vaticano anunciou que hoje o Papa Francisco encontrar-se-á com o Patriarca da Rússia, Kirill, no aeroporto de Cuba.

Dizem os tablóides: o primeiro e histórico encontro.

O que é que se passa?

 

Para perceber porque é que este encontro é importante, tenho que recorrer aos livros de história.

No séc. XI a cristandade dividiu-se. 

Roma e Constantinopla separam-se.

Uma é a residência do Papa. A outra é a capital do Império Romano.

Roma lidera a cristandade do Ocidente, que passa a denominar-se Igreja Católica Romana

Constantinopla lidera a cristandade do Oriente, que passa a denominar-se Igreja Ortodoxa.

A separação dos cristãos passou a ser conhecida como o "Grande Cisma do Oriente".

 

Por que é que se separaram? 

 

1 - Diferenças linguísticas: latim no Ocidente e grego no Oriente;

2 - Confusões dos Imperadores que misturaram o poder espiritual e o poder temporal;

3 - Costumes do Ocidente mais rudimentares. Cultura do Oriente mais requintada (bizantina);

4 - Oriente: os Padres dos desertos, os primeiros monges da tradição cristã.

    Ocidente: conflitos políticos entre Papas e Coroas, e a reivindicação da obediência do Oriente a Roma porque é nessa cidade que se situam as sepulturas dos apóstolos Pedro e Paulo;

5 - Ocidente: O Papa Leão IX, de carácter impetuoso, emite uma bula de excomunhão ao Patriarcado (Bispos) de Constantinopla, "não podendo suportar as injúrias inauditas e as ofensas dirigidas à Santa Sé".

     Oriente: O Bispo de Constantinopla (Patriarca) convoca um concílio, em resposta, de uma vintena de Bispos e excomunga, por seu turno, os "latinos".

6 - Desacordos Teológicos: 

  - A Querela do Filioque: dogma cristão que se centra num Deus único em 3 pessoas - a Trindade - sem hierarquia entre elas.

  Oriente: "O Espírito Santo procede do Pai", como diz a Bíblia em João, 15.

  Ocidente: no Credo, diz-se "O Espírito Santo procede do Pai e do Filho". Acrescentou-se "e do Filho" (Filioque).

  -  A Crise Iconoclasta: o culto das imagens de Cristo.

  Ocidente: os ícones são "sinais visíveis da santificação da matéria tornada possível pela encarnação de Cristo" (Teólogo grego João Damasceno). Os ícones são sinais e símbolos .....

   Oriente - consideram que reproduzir a imagem de Cristo corresponde a um desacreditar da natureza divina e imaterial. Proíbem o culto aos ícones, às relíquias ou a quaisquer outras imagens. Mais tarde, o Oriente restaura o culto das imagens e reafirma o seu valor espiritual, mas salienta que a adoração é somente a DEUS.

 7 - As Cruzadas. Poderiam ter sido oportunidades de reconciliação, já que o inimigo era comum. No entanto, a determinada altura, por causa de guerras de sucessão italianas, Constantinopla é "conquistada" sendo saqueada. O Papa censura a violência mas não consegue impedir que os "latinos" invadam e ocupem o coração bizantino;

8 - Constantinopla tem outra ameaça: os Turcos;

9 - Há duas tentativas de "União":

  - Uma de iniciativa do Imperador (com o apoio do Papa), mas ele é excomungado pelo Patriarca de Constantinopla;

   - Outra dos Bispos Gregos (Igreja Ortodoxa), mas quando regressam a Constantinopla o povo revolta-se contra eles e repudia a tentativa de reconciliação.

 

Portanto, fazendo o ponto da situação:

Igreja Ocidental, Catolicismo, Papa em Roma, cultura latina

Igreja Oriental, Ortodoxia, Patriarca em Constantinopla, cultura bizantina.

 

A Igreja Oriental, entregue a si própria, tem nas mãos diversas ameaças. Termina o período bizantino. Todo o resto do Oriente ortodoxo fica sob o domínio islâmico, à excepção de Moscovo (Rússia) que se intitula a terceira Roma. Os turcos toleram a fé cristã, mas marginalizam-na, em regime de millet (comunidade que é reconhecida mas subjugada). 

Há diversas tentativas e mártires que tentaram colocar fim ao Império Otomano (Turcos).

A Rússia tenta desempenhar um papel de direção mundial da ortodoxia, autorizada pela Igreja-mãe de Constantinopla, criando em 1589 o Patriarcado de Moscovo. Considera-se defensora da verdadeira fé. Depois de uma época de nacionalização de todos os bens da Igreja, há uma restruturação e um renascimento espiritual restabelecendo o Patriarcado de Moscovo (séc.s XVIII, XIX e XX). Mais tarde volta a restabelecer-se, depois de ter sido perseguida pelo sistema comunista. 

 

Russian_Orthodox_Patriarch_Kirill_L_Credit_PatriarchiaRu_PopeFrancis_R_Credit_Alexey_Gotovsky_CNA.jpg

O encontro de hoje quer dizer um ENCONTRO ENTRE A IGREJA DO OCIDENTE E A IGREJA DO ORIENTE, o primeiro da história. A Santa Sé (na pessoa do Papa Francisco) e o Patriarcado de Moscovo (na pessoa do Patriarca Ortodoxo Russo Kirill) desejam que este encontro "seja um sinal de esperança para todos os homens de boa vontade".

 

Afinal, por que é que ainda não somos uma só Igreja? 

 

2 comentários

Comentar post