Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

as surpresas de DEUS!

uma católica com sérias dificuldades no caminho da santidade!!!

as surpresas de DEUS!

uma católica com sérias dificuldades no caminho da santidade!!!

Esta coisa da Confissão é muito complicada!

19.03.16, Helena Le Blanc

Estamos na Quaresma, e com ela vem o assunto do Sacramento da Reconciliação.

Esta coisa da Confissão é um assunto de grande complexidade.

Durante muito muito tempo não me confessei.

Fugia a sete pés.

Eu fui uma das que se justificava com aquela teoria de falar diretamente a Deus e confessar-lhe todos os meus pecados. Claro que este, digamos, procedimento, nem era sequer em voz alta. Tudo se passava ao nível do pensamento.

Depois de algum tempo de caminhada, de aprendizagem da minha fé, a que herdei da minha família, confrontei-me com esta teoria. Digo que este assunto foi um dos mais difíceis de lidar e resolver e que fiz tudo para ser adiado.

Agora que reflito e penso sobre o que se passou, e como se passou, vejo como Deus me ajudou.

Houve alturas em que inevitavelmente (e por imposição da Igreja) eu teria que receber o Sacramento da Reconciliação e Deus mexeu nos cordelinhos, como ele tão bem faz, e deixou-me à vontade. Não me impôs, não me obrigou. E continuei com a minha vida quotidiana, espiritual e religiosa.

 

Até que chegou o dia em que, depois de estar muito mais esclarecida sobre este Sacramento, e preparada interiormente (com a maturidade certa) decidi confessar-me. Desafiei uma amiga para também o fazer comigo. Ela já não se confessava há muito. Ela acha que eu a ajudei a ultrapassar esse receio que ela tinha de Deus, já que na sua vida afetiva não cumpria (e não iria mudar) as regras. No entanto, ela não sabe a verdade: foi ela que me ajudou a mim e muito em me acompanhar até ao momento X. Distraiu-me o suficiente e confortou-me o suficiente, sem o saber.

Eu tinha-me preparado. Há anos que me vinha preparando, revendo uma e outra vez cada (grande) pecado. 

Eu sabia que Deus é amor e compreensão e que há muito já me tinha perdoado, ou eu não teria recebido tantas graças como já recebi até hoje. Foi duro perceber isso. Muito duro. Como é que eu tão grande pecadora (que peco com qualidade como me disse alguém recentemente) e Deus continua a amar-me e a dar-me tanto...

 

Voltando ao assunto:

- Cheguei junto do Sr. Padre e falei tudo de enxurrada. Todas as palavras que andei a juntar e a preparar há muito tempo. (1º passo cumprido);

- A reação do Sr. Padre não foi a esperada. Ficou em silêncio a olhar para mim e a procurar palavras. Depois de me transmitir o que tinha de dizer (com muito cuidado e compreensão) começou a perguntar-me sobre como funcionava o meu relógio em ligação com o telemóvel. Tivemos uma bela conversa sobre tecnologias e as marcas que existem no mercado. (2º passo cumprido).

Saí muito bem disposta, completamente relaxada, e ainda a pensar sobre o que me tinha acontecido. Digamos que saí com todo o meu interior à gargalhada! Dizia-me o meu cérebro: ó rapariga, tanta coisa para uma coisa tão simples! Vê lá se não dramatizas tanto ou qualquer dia temos todos um colapso.

Quando encontrei a minha amiga, tive outra surpresa. Ela partilhou um pouco comigo do que o Sr. Padre lhe disse, relativo ao grande problema dela. Ela estava tão feliz. Ela disse-me, resumidamente, o seguinte: ela está perdoada para todo o sempre, desde que todos os dias faça um pouquinho melhor. 

Eu fiquei deliciada com esta mensagem! Evidentemente tornou-se tema de conversa frequente entre nós.

 

Mas como este assunto é um daqueles que dá "água pelas barbas", amanhã conto o resto desta minha história pois há mais...

P1070616.JPG

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.