Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

as surpresas de DEUS!

uma cristã católica com sérias dificuldades no caminho da Santidade!!!

as surpresas de DEUS!

uma cristã católica com sérias dificuldades no caminho da Santidade!!!

Como poderei partilhar a minha Fé (subtilmente) no meu trabalho?

27.08.19, Helena Le Blanc

As nossas férias acabaram.

O regresso ao trabalho é mais uma oportunidade de fazer as "coisas" de forma diferente, melhor até! 

Assim, pensei quais as novas metodologias e estratégias que poderei usar na próxima época: manter-me mais organizada (com listas e objetivos na minha agenda); ter mais cuidado com a apresentação (da "minha escrita", dos meus papeis, da minha secretária, da minha pessoa); desenvolver a minha capacidade auditiva (ouvir bem e muito bem o outro) e ter cuidado com o que eu comunico (especialmente só depois de sem ter ouvido todos os envolvidos).

Essencialmente são estas as minhas decisões para o ultimo trimestre deste ano. 

Mas... um post que li no facebook de  Catholic Gag sobre o reinício da Escola fez-me pensar.

O texto tinha o seguinte título: "13 Maneiras subtis de partilhar a Fé na escola - escola pública (Texto original em inglês).

Pergunto-me:

- Enquanto católica, eu partilho a minha Fé no meu trabalho?

Obviamente que há profissões e/ou locais de trabalho/entidades empregadoras que facilitam mais ou menos a partilha e o testemunho da Fé. Mas, mesmo assim (com mais ou menos dificuldades), eu partilho a minha Fé no meu trabalho, nem que seja de forma subtil? 

Como é que eu poderei partilhar a minha Fé no meu trabalho, nem que seja de forma subtil?

1º - Se sou Cristã, tenho que agir como uma! Tenho que ter muito presente, no meu dia a dia, os ensinamentos de Jesus Cristo. Só usar da Verdade (sinceridade e honestidade); cuidar do Bem Comum; abusar do Perdão; ter Compaixão especialmente quando os nossos sentimentos são magoados; não perder a Esperança no ser humano, no outro;

2º - Usar um objeto que me associe à minha Fé Cristã: um crucifixo/cruz, uma medalha de um santo, um terço ou uma dezena, etc... Nunca se sabe quando isso poderá suscitar a curiosidade do outro e ser motor de uma boa conversa;

3º - Não fugir a essa "boa conversa" (sobre Fé e Religião). Eu tenho dificuldades em temas mais sensíveis, é verdade. Mas também acho que se respeitarmos e estivermos na disposição de ouvir o outro e partilharmos os nossos pensamentos com verdade e naturalidade, ambos sairão a ganhar. Aprender mais sobre as outras religiões é e será sempre uma mais valia, na minha opinião.

4º - Rezar pelos meus colegas de trabalho, especialmente se souberes que estão a travessar uma fase menos boa. Quando falo rezar por ele/ela, é fazer de forma privada e confidencial. Com a intervenção divina tenho a certeza que poderei dizer ao meu colega: "pela Graça de Deus!" e sentir-me também feliz por ele. Essa minha certeza poderá intrigar o meu colega/a minha colega;

5º - Na minha área de trabalho questionar determinados assuntos aproveitando as oportunidades que se apresentam: até podem ser assuntos mais sensíveis da Igreja católica! Dividir opiniões, partilhar, pesquisar...Por exemplo, hoje surgiu o tópico YOGA. Até que ponto esta atividade é saudável para uma pessoa que segue Jesus Cristo? É preciso perceber o que é exatamente o Yoga, como se pratica, para que objetivo, etc... 

6º - Conhecer bem a minha Fé Cristã. Isto porquê? Para a qualquer momento estar preparada para responder a perguntas e dúvidas dos meus colegas de trabalho. Uma boa resposta na hora "h" pode fazer a grande diferença. Para isso preciso, conforme a minha disponibilidade, manter-me em aprendizagem contínua sobre a minha Fé (através da leitura, da visualização de filmes e documentários, da audição de homilias ou podcasts, etc...).

7º - Estar presente para os outros. Pode até ser sem diálogo, mas estar ali presente e disponível. Cada vez mais as pessoas só têm o seu telemóvel para companhia (seja por iniciativa própria, por dependência ou como ultimo recurso), estejam em grupo (todos com o seu telemóvel) ou sozinhos. Cada um de nós (eu e tu, e o outro) somos filhos amados do meus Pai, do mesmo Criador. Ele gosta tanto de mim como de ti e isso é uma coisa que nunca deverei esquecer no meu dia a dia. Isto é muito mais importante do que pensamos. O ser humano é naturalmente social. Precisa dos outros para se sentir bem, feliz. Precisa de se sentir amado, querido, desejado, seguro;

8ª -  Ajudar voluntaria, graciosa e discretamente. Porque não haverei eu de ajudar, facilitar, promover, dar, oferecer, realizar, fornecer, transportar? Basta só um pouco da minha energia, tempo e esforço. Ser caridosa é isto mesmo: é proporcionar algo ao meu próximo que o ajude em determinado obstáculo da vida dele (seja pequeno ou grande). Um dia eu ouvi o seguinte sobre a generosidade: sermos bondosos, caridosos, é dar uma coisa ao outro que nos faz falta a nós. Dar o que temos a mais é um gesto bonito mas é somente dividir e não "partilhar". É na partilha que está o cerne... 

 

Mais? 

Sugestões? 

 

IMG_1158 com edição.jpg

Autor da estátua - Fernando Crespo (Coimbra)

Local - Fátima