Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

as surpresas de DEUS!

uma cristã católica com sérias dificuldades no caminho da Santidade!!!

as surpresas de DEUS!

uma cristã católica com sérias dificuldades no caminho da Santidade!!!

Como falar com crianças de 11 anos?

24.10.15, Helena Le Blanc

4013-MLB4889754023_082013-O.jpg

 

Hoje, a catequese foi a seguinte: "De Isaac e Rebeca ao sacramento do Matrimónio" - 2º Mistério - As bodas de Caná, pag. 43 do 1º volume dos Mistérios da Fé de Teresa Power (Evangelização Familiar, Edições Salesianas).

 

 

No início de cada semana leio a "catequese" prevista para "digeri-la". Analiso, aprendo e amadureço. Este exercício para mim é fundamental. Eu, enquanto catequista, tenho que, em primeiro lugar, aprender, absorver e vivenciar.

Qualquer docente, antes de transmitir e ensinar, tem que saber do que fala, certo? O mesmo se passa com os vendedores, ou com os políticos (aaaahhhhhhh.... pois!). Mas avançando...

Depois passo para a planificação da catequese. Há alturas em que é mais fácil, outras vezes nem tanto.

 

Como é que eu iria transmitir a história de amor de Isaac e Rebeca a crianças de 11 anos, sem parecer demasiado lamechas (eles ainda são um bocado crianças e de certeza que rapidamente "cortariam-me as bases") ou demasiado infantil (eles já falam de namoradas e namorados, e de gostarem desta ou daquele)?

Uma das coisas que tenho atenção, na preparação da catequese é:

- a "tradução" da mensagem essencial, de forma que eles a entendam e fiquem a pensar nela (para, rezo eu, a irem absorvendo);

- utilização de métodos diferentes (powerpoint, leitura de conto, teatralização, fotografias, etc...)

- uma atividade que utilize as mãos, e que ande à volta do tema (que pode ter a introdução do tema, a conclusão ou o TPC);

- um jogo lúdico.

 

Portanto, como é que eu iria contar esta (difícil) história de amor a crianças de 11 anos?

Apesar de não fazer ideia do como, coloquei mãos à obra e, o final surpreendeu-me: um livrinho com a história, dividida por diversas personagens.

IMG_8726.jpg

História de Amor Rebeca e Isac.pdf

As crianças gostam muito de ler. Então, com diversas personagens, poderíamos fazer uma leitura, diretamente do papel (e não de ecrãs!)

A linguagem foi ligeiramente arranjada por mim mas tentei manter o mesmo género de linguagem que usa a bíblia (para eles se irem habituando a ela).

Trabalhei as imagens do papel, para ser atrativo, já que o texto (com a tal linguagem) já seria "pesadote".

Para as personagens, em vez de colocar o "nome próprio", usei imagens, com algum humor.

Por ex:

- o criado de Abraão;

 retrato-da-animação-do-homem-árabe-com-uma-barb

 - a Rebeca;

Giuseppe_Molteni_-_Rebecca_-_Google_Art_Project.jp

- dois narradores;

can-stock-photo_csp12831138.jpgcan-stock-photo_csp12831138.jpg

 - a mãe de Rebeca;

4F75C3DA-4F8F-41C1-8A56-A4D9FE2ED3F5_mw800_mh600.j

 etc....

 

Eu fiquei muito surpresa com o produto final!

Também preparei a atividade e o jogo.

 

As crianças ficaram algo surpresas quando comecei a distribuir o livrinho, e curiosas começaram logo a desfolhar!

Depois da primeira leitura, tivemos um diálogo para além de resumir a história. Relembramos quem era Abraão, e comecei por colocar perguntas muito concretas:

- é normal um pai, que quer casar o seu filho, pedir ao seu empregado para ir buscar uma noiva para ele?

- é normal escolher-se uma rapariga daquela forma?

- é normal os pais de uma rapariga acreditarem em tal história e deixarem-na ir?

- é normal uma rapariga aceitar ir com um desconhecido, para se casar com outro desconhecido?

- é normal um rapaz aceitar casar com um desconhecida, que foi escolhida não sei como pelo pai?

Não.

No entanto, o facto é que, contra todas as espetativas e possibilidades, Rebeca e Isaac apaixonaram-se! Como é que é possível? Foi um acaso? Não me parece! A história é demasiada rebuscada para ser um conjunto de circunstâncias e coincidências!

Qual é a grande lição? Temos que confiar (cegamente) em Deus! Deus ama-nos tanto! Ele quer a nossa felicidade. Por isso, devemos confiar!

- Mas e se o rapaz depois deixa de gostar dela? - pergunta-me um rapaz.

- Continuamos a confiar em Deus. Se o amarmos, e mostrar-lhe que ele é o mais importante das nossas vidas, Deus já nos mostrará o caminho para a felicidade.

E, nesta altura, pensei eu: se eu soubesse (há 20 anos atrás) que iria encontrar o James, casar com ele e ter a família que tenho hoje, voltaria a viver tudo outra vez, cada segundo e cada minuto. Mas talvez com uma diferença: viveria tudo outra vez com um sorriso na cara, especialmente nos momentos menos bons que vivi!

 

Atividade (desta vez para TPC) e que deverão trazer para a próxima catequese:

Atividade Isac e Rebeca.pdf

 

IMG_8738.JPG

 

O grupo quis repetir a leitura, pela segunda vez! Já não houve tempo do jogo lúdico. Fica para uma próxima oportunidade!

Fiz um pequeno vídeo de alguns momentos da leitura. Afinal, a bíblia também tem bonitas histórias de amor!

 

 

Meu Deus, obrigada por mais esta aprendizagem: confiar em Ti!

Não conhecia (com profundidade) esta história de amor entre Rebeca e Isaac!  

Ó Meu Deus, como tenho tanto para aprender sobre Ti!