Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

as surpresas de DEUS!

O nosso diário: aprendemos, vivemos e partilhamos a nossa Fé.

as surpresas de DEUS!

O nosso diário: aprendemos, vivemos e partilhamos a nossa Fé.

24
Set17

Eu tenho sede de...

Helena Le Blanc

Tive a oportunidade de estar num reunião de pais, tal como muitas mães e pais nesta época de reinício da atividade escolar.

Nesta reunião, e depois de um acolhimento num cantinho da natureza, e uma bela apresentação, eu recebi um copo de vidro com a seguinte frase "A água é fonte de vida..."

IMG_6782.JPG

Fui convidada a encher o meu copo de água e a pensar na minha sede. Qual é a minha sede?

IMG_6784.JPG

Nos minutos seguintes, em que caminhava, surgiu-me na minha mente a sede de afeto e de amor. Mas também pensei, mais?

"Lena, tu tens o amor de Deus, o amor do teu esposo, o amor do teu filho, o amor dos teus pais, o amor dos teus amigos, etc.. e a primeira coisa em que pensas é sede de amor??!!!"

Fiquei encalhada neste pensamento nos dias seguintes.

Para me ajudar fui ler a passagem que serviu de mote ao exercício proposto. Surgiu ontem a oportunidade perfeito para eu tirar um bocadinho e ler (graças a uma amiga que convidou o Xavier para uma atividade no exterior).

Li, e li e continuei a ler. Consultei o Catecismo da Igreja e refleti.

Percebi que não me devo sentir mal ou ingrata por pedir mais e mais. Aliás só tem sede aqueles que VIVEM, certo? Quem não sente sede ou fome é porque está adormecido e acomodado às suas pequenas alegrias e tristezas da vida.

Portanto, eu quero sentir mais o amor de Deus. Os nossos sentidos humanos toldam-nos, não nos dão a plena capacidade para experiênciar o total amor de Deus por nós. Assim, quanto mais me sinto feliz e abençoada, mais eu quero.

Quem não quer continuar na felicidade?

E que venha mais e muito mais?!

Nós temos a felicidade de termos o espírito de Deus connosco. Na altura de Jesus (João 8, 37-39), ele falou dele e ninguém percebia. Hoje nós percebemos, pois esse espírito foi deixado por Jesus aqui na terra quando este subiu aos céus (ou seja a sua glorificação). Nós tocamos esse espírito cada vez que comungamos, que nos confessamos, que somos crismados, que nos casamos ou consagramos... 

Eu não sinto nada de especial, nem sinto na maior parte das vezes. E é OK. É assim mesmo.

Eu não posso sentir pois o meu corpo humano está cheio de limitações, como já disse anteriormente. Os meus sentidos humanos não conseguem captar esses sinais, essas manifestações. 

Portanto, no meu caso particular encontrei a minha resposta. A minha sede é de tempo. Tempo para ler a bíblia (tal como o fiz ontem) e descobrir os pequenos detalhes da sua personalidade, já que só através d`Ele é que conseguirei aproximar-me de Deus. "Vós não conheceis nem a Mim nem ao meu Pai. Se Me conhecêsseis também conheceríeis o meu Pai" (João 8, 19).

 

Costumo ler a bíblia, especialmente os Evangelhos? Mais ou menos. E tu?

Costumo consultar o Catecismos quando tens dúvidas? Às vezes. E tu?

Costumo procurar junto da Palavra de Deus as respostas para os dilemas da tua vida? Ultimamente sim. E tu?

 

19
Set17

A cruz do cântaro perseguiu-me!

Helena Le Blanc

Numa catequese nós falamos da história de Gedeão.

Gedeão, segundo o livro dos Juízes na Bíblia (capítulos 6 e 7), era um rapaz simples, muito simples, e Deus, ao responder às orações do seu Povo, escolheu-o para os salvar.

IMG_9712-001.JPG

Para espanto de todos foi este simples, muito simples rapaz, novo e fraco, que os realmente salvou recuperando a terra prometida.

 

- "Meu Senhor, como posso salvar Israel?"

- "Eu estarei contigo e tu derrotarás os mandianitas (os inimigos) como se fossem um só homem!"

 

Assim, porque ele confiou em Deus, foi para a batalha com 300 homens, e pelo poder de Deus ele ganhou. O seu nome ficou na história, não porque tinha grande talento enquanto comandante de tropas, mas porque ouviu Deus e fez tudo o que ele lhe mandou.

Assim, à meia-noite, ao render das sentinelas, os inimigos, "numerosos como gafanhotos", apanharam um grande susto: os trezentos Israelitas, ao sinal de Gedeão, tocaram ao mesmo tempo as suas trombetas (na mão direita), quebraram os seus cântaros no chão levantando as suas tochas (na mão esquerda).

 

A confusão instalou-se no acampamento, ouvindo-se berros e correrias. Fugiram.

Foi assim que, sem saírem dos seus lugares e sem terem morto sequer uma unica pessoa, os Israelitas e o pequeno e jovem Gedeão venceram uma batalha recuperando as suas terras.

Esta evangelização, do livro dos Mistérios da Fé Volume 2, começa na pagina 88, sob o titulo "O cântaro quebrado - de Gedeão ao Tabor, foi desenvolvida em duas sessões catequéticas.

Na primeira, e depois de contar a história, através da sua leitura na bíblia, e compreendermos, cada um tomou para si um cântaro. Deveriam torná-lo seu através de decoração.

IMG_9663-001.JPG

IMG_9684-001.JPG

No final levaram-no para casa.

Na catequese seguinte trouuxeram-no.

No início pedi que mo entregassem para eu coloca o mesmo em "exposição", no cima do muro. 

IMG_9831-001.JPG

Depois continuamos a nossa aprendizagem: a transfiguração de Jesus!

IMG_9834-002.JPG

Tal como o cântaro que ao quebrar-se mostrou o que continha o seu interior (uma luz intensa) tendo afugentado os inimigos, também Jesus convidou, numa noite, os seus amigos a espreitarem para dentro do seu cântaro. Passados uns dias ele iria se deixar "quebrar" para revelar aos homens a sua verdadeira essência.

Assim percebemos que há um segundo mundo paralelo: o mundo espiritual... onde todos nós ficaremos eternamente (o invisível). Opções disponíveis nessa outra realidade: inferno, purgatório e paraíso! 

Onde ficarei? Justiça divina: consequências dos meus atos no mundo físico.

Mas isto tudo só é possível porque Jesus abriu uma porta, um caminho! Oferecendo a sua vida permitiu que eu, depois da morte, chegasse a esta segunda realidade, para.... recolher os frutos das minhas ações: o meu tesouro!

IMG_9839-001.JPG

Partimos o nosso cântaro e... este revelou a nossa luz (tal como Gedeão e os seus 300 homens que sem espadas venceram 24 mil homens), o nosso caminho, a nossa verdade!

IMG_9850-001.JPG

IMG_9857-001.JPG

E efetivamente (com surpresa) estes pré-adolescentes quebraram o cântaro que com cuidado tinham decorado e guardado durante uma semana. Ao fazerem-no descobriram um lenço de papel que guardava um coração com uma cruz. (Sorrateiramente eu tinha escondido em cada cântaro à medida que os tinha colocado no muro em "exposição".)

IMG_9823-001.JPG

Tendo eu também participado nesta atividade, guardei o meu coração com a minúscula cruz no bolso das minhas calças de jeans. Esqueci.

Passados uns 2 meses vejo um coração vermelho com uma cruz no balcão de atendimento de um dos edifícios do meu trabalho. Fico muito espantada porque aquilo era familiar... mas no meu trabalho?????

Eu não estava a perceber como é que aquilo tinha aparecido ali! E fez-se luz: o meu! Eu tinha ficado com um num bolso das minhas calças. Ok! 

IMG_9647-001 (3).JPG

Perguntei à pessoa responsável como é que aquilo tinha chegado ali. Respondeu-me que alguém tinha encontrado no corredor (onde passam muitas pessoas).

Ok.

Voltei a guardar, e a esquecer!

Passados mais uns meses encontro o mesmo coração e a mesma cruz em cima da minha secretaria em casa. Eu fico a olhar outra vez!

- Eu não acredito! - Exclamei em viva voz! Como é que um coração de 3 cms, com uma cruz de 2 cms cosida ao papel estava ali e não se tinha perdido?!?!

DSC_0404-001 (1).JPG

Senti-me envergonhada e muito surpresa: durante pelo menos 6 meses aquela cruz do cântaro perseguiu-me! 

E esta hem?!

Só me resta dizer: agora estão muito bem guardados comigo.

16
Set17

A Fé traumatiza a criança?

Helena Le Blanc

De vez em quando assaltam-me algumas duvidas quando vejo pequenos sinais da nossa Fé no meu filho.

Por exemplo, neste verão ele esteve com uma jovem amiga durante uma semana cá em casa. Brincou muito com ele e fizeram diversas atividades. Em alguns dias, quando chegava a casa, tinha surpresas à minha espera:

IMG_6646-001.JPG

Bem, neste caso foi uma surpresa para o Pai, a sua prenda de anos.

Mas tive mais, por exemplo esta:

IMG_6623-001.JPG

Entre outras, o que chamou mais atenção foi isto:

IMG_6528-001.JPG

IMG_6529-001.JPG

Nessa noite o nosso canto de oração ficou assim:

IMG_6534-001.JPG

Como é que um menino de 4 anos tem estas iniciativas? Porque a sua família tem muito presente a sua Fé no seu quotidiano e na sua casa.

Mas é normal este tipo de iniciativa? Será saudável que a criança seja rodeada assim de tantos sinais e vivências?

São as tais dúvidas que de vez em quando me assaltam. Não irá ele um dia ficar "enjoado", "farto", "traumatizado"?

Quando as crianças têm este tipo de iniciativas normalmente foi porque o Catequista, o Padre ou outro adulto pediu. Mas o meu filho lembrou-se de escrever também o nome de Jesus numa pedrinha, tal como tinha feito já com os nossos nomes, e colocar no nosso canto de oração porque na nossa família o Pai, a Mãe, a televisão, os brinquedos, a patrulha pata, etc.. têm a mesma importância que têm Jesus, a nossa Fé, a nossa Oração, o nosso Deus. Tudo é importante, um bocadinho de cada, sendo certo que os valores que Deus nos pede para vivenciar, ensinados por Jesus Cristo, terão que ser o mais importante de tudo. Isto chega-nos através de desenhos animados adequados, brincadeiras, jogos, histórias... por ex. as histórias da bíblia que são tão boas como as histórias "tradicionais".

Isto é o que eu acredito apesar das minhas dúvidas (típicas de mãe).

A nossa casa têm coisas que nós gostamos. Um exemplo disso é a cor verde com que pintamos o interior da nossa casa. E se eu amo Deus tenho que necessariamente expressar isso nas coisas que me rodeiam, seja em minha casa, no meu carro, na minha carteira, nos meus livros, no meu facebook...

O meu filho vai absorvendo inconscientemente todos estes sinais, e como tal vai fazendo sentido para ele a nossa Fé, já que vamos à Missa todos os domingos, benze-mo-nos todos os dias com água benta, agradecemos as coisas boas do dia, rezamos Avé-Marias e Pai- Nossos (neste caso ele é o encarregue de contar), lemos histórias da bíblia, temos a Cruz da nossa salvação cá em casa, etc...

Outro exemplo que me ocorre: os clubes de futebol. Cedo as crianças sabem qual o club favorito dos pais e aprendem a "torcer" por esse club. Para os rapazes faz sentido particarem futebol porque esse desporto, esse gosto, está presente (de diversas formas) na família. As crianças ficam traumatizadas por causa do futebol? 

Num dia destes, e junto de um casal amigo com quem ele passou o fim de semana, ao ver uma cruz alta na estrada fez o seguinte comentário:

 

- A minha mãe iria gostar muito desta cruz!

 

E isto é um comentário saudável, não de uma criança "traumatizada" pelos pais e pela sua vivência na Igreja Católica.

Por isso é que, em tempos de reinício de catequese, sinto-me muito triste quando percebo junto das crianças que a catequese não faz sentido para elas. Percebem o que se diz e ensina, mas não têm nenhum resultado pratico nas suas vidas porque a família não vive a sua Fé. 

A missa, a catequese, os ensaios para a Primeira Comunhão e Crisma, etc... tudo isso é difícil para as crianças e jovens porque quando olham para os seus pais, verificam que o que andam a fazer são formalidades e festas, e é assim que vão aprendendendo o que quer dizer "hipocrasia", "mentira", "estar no social", "beleza"... Por sua vez os adultos vão se queixando como são os jovens de hoje!

 

Confio em Deus completamente. Sei que o seu amor por nós é inamaginável (para os nossos sentidos humanos), e que vai estar sempre ao lado do meu filho, nos bons e maus momentos eternamente. Porquê?

Porque Deus pensou-o, criou-o e entregou-me no meu seio. Ele era seu filho antes de ser meu. Eu faço o meu papel de mãe, de guardiã do tesouro mais precioso ao cimo da terra. Mas tenho que fazer mais para além disso: tenho que lhe dar a conhecer o seu verdadeiro Pai, a verdade da sua existência!

 

"Sim! Pois Tu formaste os meus rins,

Tu me tecestes no seio materno.

Eu te agradeço por tão grande prodígio,

e maravilho-me com as tuas maravilhas!"

 

(Salmo 139/138 - É Deus quem revela quem somos)

Pág. 1/2

Sigam-me

Comentários recentes

  • Helena Le Blanc

    Ola!Obrigada Sr./Sr.ª Desconhecido(a).Vou dar notí...

  • Anónimo

    Mudou-se para o sapo e nunca mais escreveu?Dê notí...

  • Bruxa Mimi

    Boas leituras, Lena!Bjs,Mimi

  • Anónimo

    Bela ideia! Acho que o senhor padre este ano quer ...

  • Helena Le Blanc

    Ola Teresa!É difícil não te reconhecer pelo conteú...

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Mais sobre mim

foto do autor