Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

as surpresas de DEUS!

uma cristã católica com sérias dificuldades no caminho da Santidade!!!

as surpresas de DEUS!

uma cristã católica com sérias dificuldades no caminho da Santidade!!!

Dia Mundial do Doente

11.02.16, Helena Le Blanc

Hoje é o Dia Mundial do Doente e de Nossa Senhora de Lourdes.

Inicialmente pensei em pesquisar sobre as aparições da Imaculada Conceição à Santa Bernadette, mas não foi possível. Assim, estava a preparar-me para deixar passar a ocasião quando leio o post da Teresa Power do blog Uma Família Católica: Um pequeno passo.... Decido fazer um comentário ao post sobre uma coisa que saltitou na minha cabeça enquanto lia o testemunho. E o engraçado é que... apercebi-me que até tinha uma surpresa que gostaria de falar no Dia Mundial do Doente!

 

A Teresa Power gentilmente emprestou-me um livro sobre a vida da Madre Teresa de Calcutá, quando o grupo de catequistas teve que preparar uma atividade.

Uma das coisas que descobri foi a Madre Teresa de Calcutá ter um "outro eu"!

Sim, a Madre Teresa tinha um segundo eu... 

 

Como assim?

Em 1949, a Madre Teresa encontra-se com Jaquelina Decker.

Esta senhora belga tinha deixado o seu país, para dedicar-se aos pobres de Madras, na Índia. Depois de algum tempo, Jaquelina Decker começou a sentir dores fortes na coluna vertebral paralisando-a. Ela foi submetida a tratamentos intensivos mas sem qualquer alteração à sua condição de imobilidade. A sua vida ficou em risco. Jaquelina  sentia-se impotente, desanimada e condenada. 

Nesta altura, a Madre Teresa estava a frequentar um curso de enfermagem antes de iniciar o trabalho junto dos doentes, tendo deixado há pouco tempo as Irmãs de Nossa Senhora de Loreto.

Uma, infeliz, despedia-se  da sua atividade missionária.

A outra, feliz, preparava-se para a mesma atividade.

No dia que se conheceram, a Madre Teresa fez uma proposta à Jaquelina: a oferta do seu sofrimento pela obra que ela iria começar.

A Jaquelina aceitou. Assim a Madre Teresa passou a ter um outro eu - uma irmã gémea - que quase paralítica, oferecia toda a sua dor e sofrimento em prol do trabalho junto dos pobres. Uniam os seus esforços espiritualmente. 

Uma em Calcutá, outra na Bélgica.

Uma oferecia o sofrimento e orações, com o seu corpo na Bélgica e a alma na Índia.

A outra realizava a obra, os projetos, o trabalho.

Ambas Missionárias da Caridade, tornaram-se uma só.

E assim começou o grupo dos Voluntários Doentes e Sofredores.

Madre Teresa, em 13 de Janeiro de 1953, escreveu assim para Jaquelina:

"Tu, e os outros que se uniram a ti, participareis nas nossas orações, trabalhos e projetos. Com os vossos sofrimentos participareis em tudo o que pudermos fazer. (...) Tem maior mérito o que tu podes fazer no teu leito de dor que eu com os meus apressados passos no meio das pessoas. Mas tu e eu juntas podemos tudo n´Aquele que é a nossa força".

Pessoas doentes e pessoas com as mais diversas limitações, começaram a adotar uma Irmã ou um Irmão Missionário da Caridade, oferecendo os seus sofrimentos e orações. Os dois tornam-se um só e chamam-se mutuamente o seu "segundo eu".

Madre Teresa falava frequentemente do seu "segundo eu". Numa ocasião, disse o seguinte:

"O meu segundo eu, na ultima vez que estive na Bélgica disse-me: «Estou certa que vai ter muito trabalho com tudo o que tem pela frente para realizar e para dizer. Afirmo isto por causa da dor que tenho na coluna e da operação dolorosa a que, em breve, me terei de sujeitar.» Esta é a 17ª operação. Sempre que tenho que fazer alguma coisa especial é ela quem me dá força e coragem para fazer a vontade de Deus. É por isso que eu estou a fazer o que faço. O meu «segundo eu» faz a parte mais difícil do meu trabalho."

 

Esta "dinâmica" ou ideia deixou-me a pensar durante algum tempo....

 

"Eu (saudável) e tu (doente) unidas espiritualmente,

como irmãs gémeas,

para cumprirmos uma mesma missão de amor"

IMG_0885 (1).JPG

Fiquei (completamente) surpresa!