Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

as surpresas de DEUS!

uma cristã católica com sérias dificuldades no caminho da Santidade!!!

as surpresas de DEUS!

uma cristã católica com sérias dificuldades no caminho da Santidade!!!

Outra Revista????

24.08.15, Helena Le Blanc

 - O que é que se anda a passar com o mundo?

Ontem fui a uma pastelaria, para comprar o jornal e deparo-me, à semelhança da ultima vez (que achei que seria única), com uma revista, no meio de outras sobre moda, decoração, dietas, exercício físico, etc, sobre o Papa Francisco. 

Tenho reparado que, o Santo Padre, é muito popular, e por isso é habitual aparecer em artigos nos jornais ou nas revistas, mas uma revista só sobre o Papa Francisco, claramente em linha de continuação da ultima, é que não estava à espera. 

 

Tão boa é a surpresa que me questiono: o que é que se anda a passar com o mundo?

 

image1 (1).JPGimage1 (1).JPG

image2 (1).JPG

 

Não percebi!

08.08.15, Helena Le Blanc

Encontrei este quadro, num canto da sala de estar,

de uma família que não é católica, mesmo em frente à televisão.

IMG_4964.jpg

Reza mais, preocupa-te menos. 

Uma surpresa.

 

Depois, reparei noutro quadro, e fiquei na dúvida...

Qual será a tradução correta?

Qual será a verdadeira mensagem?

IMG_4967.jpg

 Fé é a certeza da esperança?

Fé é ter a certeza do que tu desejas? 

Não percebi.

Eu fiz isto?!

07.08.15, Helena Le Blanc

Num dos dias que estivemos na casa do meu sogro, o Xavier interessou-se pelo jardim e ferramentas de jardinagem.

Achei uma "fofura", que até fiz o seguinte vídeo: 

 

 

Mas, não sei como nem porquê nem de que forma, aconteceu... 

Alérgica desde criança a atividades agrícolas, ainda de pijama e só com o café na barriga, a sentir o sol a aquecer  vi as minhas mãos a tomaram vida própria e, comecei a ajudar. Coloquei as mãos na terra, literalmente!

Foi uma bela surpresa para o meu marido. Imediatamente apressou-se a registar fotograficamente o momento:

IMG_4935.jpgIMG_4935.jpg

IMG_6635.jpgNo fim da manhã, eu tinha limpo, sozinha, um cantinho do enorme jardim, mas senti-me nas nuvens e tão orgulhosa! 

Eu nunca tinha dado, a mim própria, esta oportunidade! Recusava, no primeiro segundo, a ideia, a situação ou sequer a possibilidade.

Eu fiz isto?! Raios Helena, porque é que não o fizeste à mais tempo?! 

Meu Deus, como fiquei surpresa com esta lição e como percebo que tenho tanto para aprender, especialmente relativo à confiança e à humildade!

Poderei eu mudar o mundo?

05.08.15, Helena Le Blanc

- Todos os dias ouço desgraças nas notícias;

- Todos os dias vejo injustiças a acontecerem à minha volta;

- Todos os dias sinto as pessoas zangadas, tristes, chateadas, revoltadas com a vida;

- Todos os dias leio histórias de vidas muito difíceis;

- Todos os dias aborreço-me com o que oiço dos nossos políticos;

- Todos os dias desespero com os prognósticos dos económicos e com os dircursos à cerca desta crise financeira;

- Todos os dias "brinco" com a ironia da vida...

 

Mas...

 

Poderei eu mudar o mundo? 

P1020928.JPG Eu, uma mulher adulta, na casa dos 40 anos, madura, casada e mãe de um filho, digo:

- SIM, EU POSSO MUDAR O MUNDO.

 

 

Transcrevo o que a minha amiga Susana Pinheiro escreveu no facebook:

"O instante mágico"
É preciso correr riscos. Só entendemos direito o milagre da vida quando deixamos que o inesperado aconteça.
Todos os dias Deus nos dá – junto com o sol – um momento em que é possível mudar tudo que nos deixa infelizes. Todos os dias procuramos fingir que não percebemos este momento, que ele não existe, que hoje é igual a ontem – e será igual à amanhã.
Mas, quem presta atenção ao seu dia, descobre o instante mágico.
Ele pode estar escondido na hora em que enfiamos a chave na porta pela manhã, no instante de silêncio logo após o jantar, nas mil e uma coisas que nos parecem iguais. Este momento existe – um momento em que toda a força das estrelas passa por nós, e nos permite fazer milagres.
A felicidade às vezes é uma bênção – mas geralmente é uma conquista.
O instante mágico do dia nos ajuda a mudar, nos faz ir em busca de nossos sonhos. Vamos sofrer, vamos ter momentos difíceis, vamos enfrentar muitas desilusões – mas tudo é passageiro, e não deixa marcas. E, no futuro, podemos olhar para trás com orgulho e fé.
Pobre de quem teve medo de correr os riscos. Porque este talvez não se decepcione nunca, nem tenha desilusões, nem sofra como aqueles que têm um sonho a seguir.
Mas quando olhar para trás – porque sempre olhamos para trás – vai escutar seu coração dizendo:

O que fizeste com os milagres que Deus semeou por teus dias? O que fizeste com os talentos que teu Mestre te confiou? Enterraste fundo em uma cova, porque tinhas medo de perdê-los. Então, esta é a tua herança: a certeza de que desperdiçaste tua vida”.

Pobre de quem escuta estas palavras. Porque então acreditará em milagres, mas os instantes mágicos da vida já terão passado.

(do livro "Na margem do Rio Piedra eu sentei e chorei - Paulo Coelho)

Facebook de Susana Pinheiro: https://www.facebook.com/susana.pinheiro.758?fref=nf&pnref=story

Ela já muda o mundo!

 

Passados uns dias vejo o texto da Família de Caná Almeida, que me mostra COMO é que eu PODEREI MUDAR O MUNDO:

 Fazer a diferença, de Rute Almeida

Outra pessoa que já muda o mundo!

 

 E Tu?

Não te queres juntar a nós, e mudar o Mundo?

 

Como me senti nos últimos dias!

03.08.15, Helena Le Blanc

Do deserto à tempestade...

 

Não sei bem como nem porquê mas a chegada do Verão e desta época confusa de ir de férias, depois ir trabalhar, para depois ter mais um período de férias e para retomar outra vez o trabalho, costuma a afetar-me bastante.

Acho que sair da rotina, planear outros locais, sítios e rotinas, especialmente para as crianças porque os pais não têm tanto tempo de férias, faz com que facilmente nos esqueçamos do que é mais importante!

Nós esquecemos-nos DELE! Eu coloquei-O em segundo plano.

No ano passado, alguém me disse que todos nós temos um tempo de deserto. Acho que foi do Sr.. Padre que ouvi isto. A determinada altura parece que andamos a divagar. Mas nesses períodos devemos procurar cultivar, aproximar-nos e confiar, apesar de nos sentirmos ....., melhor, apesar de "não sentirmos"!

Num destes ultimos dias, em que tivemos uma noite de trovões, sentei-me na varanda a observar esta beleza da natureza e a saborear esse momento extraordinário: trovões e relâmpagos em plena noite quente de verão.

E ao pensar na dualidade do deserto/tempestade, caí em mim!

Apercebi-me que nós já não estávamos a rezar todos juntos à noite junto do nosso cantinho de oração, que o Xavier estava somente a ter histórias de Piratas (as suas preferidas) e nenhuma da bíblia, que eu tinha parado as minhas leituras, que não estava a visitar (virtualmente) as outras Famílias de Caná, que há muito que não renovava as flores do nosso canto de Oração, que não estava a rezar o terço diariamente, que não estava a ouvir os programas áudio que habitualmente oiço, que.....

Mas estava a fazer muitas outras coisas: a planear dias, épocas e atividades, a coser roupa e a reutilizar coisas que tinha acumulado num monte, a passar a ferro o monte de roupa, a reorganizar espaços domésticos, a planear com o marido as próximas obras/melhorias que queremos fazer em casa, planear aniversários, a pôr trabalho (do meu "emprego") em dia, a ler e apagar os mil e tal emails que tenho por abrir, a...

Eu esqueci-me DELE! Como é que aconteceu? No momento que entendi isto, tive a consciência do vazio dentro de mim! 

E desde essa noite até hoje tenho estado a tentar retomar o nosso caminho, devagar, lutando contra esta "secura!" Deserto: vazio e secura!

 

IMG_0316.jpg

 

Ontem, dia santo, é o dia de ir à missa. Não nos levantámos a tempo para ir à Eucaristia habitual. Mas, quase por uma questão de princípio, senti que deveríamos pelo menos ir à missa, continuar a ir à missa!

Fiz uma pesquisa na net e descobri que tínhamos a missa dominical da localidade onde vivemos às 10h30. 

Chegamos com 5 minutos de atraso. O Sr. Padre estava a batizar uma criança. Fiquei confusa. Estão no momento do batismo?

Saí da Igreja, com o meu filho nos braços, e perguntei a que horas tinha começado a missa. Um Senhor respondeu-me que tinha iniciado às 10h00. Olhei para o meu marido e, em imediato, dirigi-me para o nosso carro. Ele, atrás de mim, pergunta-me porque é que pelo menos, não ficamos até ao fim. Eu disse-lhe que temos na missa Sé às 11h. Se formos já conseguiriamos chegar (mais ou menos) a tempo.

O meu marido informa-meque o carro está sem gasóleo. Fiquei para morrer! Eu entrei no carro e não disse mais nada, completamente desanimada! Perdi-me em pensamentos de outro mundo, rendida às circunstâncias.

 

- Lena, queres ir ou não?

O James "acorda-me".

Olho para o relógio: 11h05. Ok. Comecei logo a dizer-lhe onde é que ele poderia estacionar.

Voltámos a tirar o Xavier do carro - completamente baralhado!

Ao entrar na catedral, pela nave lateral (do coro) apercebo-me de olhares estranhos, e dou-me conta que é o momento do ofertório.

Sento-me, sem acreditar! Calculei (rapidamente) que a missa teria começado às 10h30!

Desta vez, deixei-me estar até ao fim, completamente rendida e com uma grande sensação de frustração.

Depois de toda a gente sair, no fim da cerimónia, para nós falarmos. Corrijo, não falámos.

Passado um bocado, começamos a visitar todo o espaço, mostrando ao Xavier aquela grande igreja.

 

No serão, a propósito de outra coisa, James comenta como Deus nos tinha feito suar! 

Fiquei a pensar naquilo!

Quem nos conhece e se lembre, já deve ter percebido que é habitual "descarrilarmos" nesta altura.

Deus, melhor do que ninguém sabe disso e, de cada vez, voltou a recebermos-nos de braços abertos.

Mas desta vez, ele deu-nos uma (grande) lição. 

E foi bem merecida! Depois de tantas maravilhas que Deus fez nas nossas vidas, deveríamos já saber melhor!

  

IMG_2876.jpg