Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

as surpresas de DEUS!

uma cristã católica com sérias dificuldades no caminho da Santidade!!!

as surpresas de DEUS!

uma cristã católica com sérias dificuldades no caminho da Santidade!!!

Acreditar, ou não acreditar: eis a questão!

17.04.15, Helena Le Blanc

- E tu, acreditas?

 

Esta foi a pergunta que ouvi de uma das crianças que fazem parte do grupo de catequese.

Era a 1ª das duas sessões de evangelização sobre a temática "Do cerco de Jericó às aparições do Ressuscitado", página 110 do 3º Volume dos Mistérios da Fé de Teresa Power.

Para quem não está familiarizado com esta metodologia, passo a explicar muito sucintamente: Os Mistérios da Fé (em três volumes) contêm meditações em que ligam o Antigo Testamento ao Novo Testamento, a partir dos Mistérios do Rosário. São reflexões para adultos mas que, através das sugestões dadas, podem ser adaptadas para as crianças. A grande novidade é que é uma evangelização essencialmente familiar, e que através desta ficamos a conhecer melhor os principais momentos relatados na Bíblia, desde o antigo ao novo testamento, numa linguagem acessível e entendível para qualquer um... mesmo para o pai ou a mãe muito inseguros.

Na nossa Paróquia, todos os grupos têm o mesmo Volume dos Mistérios da Fé (este ano é o 3º volume) e há uma planificação das temáticas. Assim, é atribuído para todos os grupos, desde o primeiro até ao ultimo, na mesma semana, a mesma temática, sendo que desenvolve-se em duas sessões/duas semanas. Evidentemente que os catequistas/evangelizadores adaptam conforme a idade do seu grupo.

 

Portanto retomando, sendo o episódio do Cerco a Jericó pelos israelitas a retratar nesta catequese, e tendo o grupo já tido a oportunidade de conhecer a história antes (penso que há dois anos atrás), optei por relembrar e avançar numa outra direção.

Eles recordaram facilmente o episódio, em especial por causa da arca da aliança, das trombetas e das 7 voltas.

Acreditam que isto possa ter acontecido?

Aliás, o Povo Israel, liderado por Josué, para chegar a Jericó, teve que atravessar o Rio Jordão. Outro episódio extraordinário.

 

Eu, para me preparar, tinha estudado e procurado saber mais um pouco sobre estes dois acontecimentos. Ouvi testemunhos diversos de especialistas e técnicos. Relatei, ao grupo, o que ouvi e aprendi. 

Até à ao século passado pensava-se ser um mito, ou uma lenda a a travessia do Rio Jordão e o Cerco a Jericó (os dois acontecimentos estão interligados). No entanto, descobriu-se, através de vestígios arqueológicos e estudos realizados na zona, nomeadamente relativo às luas (calendário) e terramotos, que é muito provável ter acontecido.

No diálogo que tive com o grupo, naturalmente, perguntei quem acreditava. Alguns responderam-me prontamente que sim, com toda a segurança e certeza. Outros responderam de forma hesitante.

E houve um que rapidamente me colocou a questão:

- E tu, acreditas?

 

Eu imediatamente senti a importância daquela pergunta, e do impacto da resposta.

Tinha duas hipóteses de resposta:

   - acredito, e toda a minha linguagem não verbal a "gritar" que não é bem assim, por diversos motivos (acredito só em algumas coisas, tenho muitas duvidas sobre a maior parte das coisas, etc...) - e o que, efetivamente, é interpretado pelas crianças é: NÃO ACREDITO. Não se pode ser cinzento, ou se é branco ou se é preto;

   - acredito, e toda a minha linguagem não verbal revela a convicção da minha crença. ACREDITO COM CONVICÇÃO. E isto quer dizer: sou preto ou sou branco. Não revela ser cinzento.

 

Esta situação deixou-me a pensar, e percebi as respostas hesitantes de alguns membros do grupo. Como é que se pede a uma criança para acreditar, quando os adultos que a rodeiam acreditam sem convicção, que é o mesmo que dizer que, não acreditam!

 

Como ouvi, no Curso Online que estou a participar "O Mistério da Páscoa" do Padre Raniero Cantalamessa: " Somente os cristãos acreditam (que Ele tenha ressuscitado) e quem não acredita nisso, certamente não é cristão. Portanto, a conclusão de Agostinho é que a fé dos cristãos é a ressurreição de Cristo".

IMG_9767.JPG

 

Se o CRISTÃO acredita que JESUS ressuscitou dos mortos, o mais extraordinário de todos os acontecimentos da nossa história, então, DEUS pode tudo, certo?

Se de facto aconteceu, ou não, a travessia do Rio Jordão ou o cerco a Jericó, não é o essencial da questão. Sabem porquê? Porque basta DEUS querer que tudo poderia ter acontecido, isso e muito mais... E já agora, não poderá ter acontecido realmente? Pelos vistos, sim...

 

Pais, mães, avós, avôs, Professores, Professoras, Catequistas, antes de falarem de Deus (e do seu filho amado) a uma criança, ou de a inscreverem na catequese, ou de prepararem a Festa da Primeira Comunhão, ou de a convencerem que é importante ir à Catequese, e às vezes à Missa, pensem pelos menos 10 segundos sobre isto.

 

- E tu, acreditas? 

IMG_1825.JPG

 

 

A Vida Consagrada...

16.04.15, Helena Le Blanc

Recentemente, tive a oportunidade de conversar com uma Irmã, sobre a vida consagrada e a sua vocação.

Esta temática é difícil. Normalmente, ninguém tem muita disponibilidade para ouvir e para "verdadeiramente" transmitir.

No entanto, surgiu de um mero acaso. Estávamos com um problema de programação (para o passeio que estava combinado) e... repentinamente veio à baila. Não tive tempo sequer de pensar. Mas, depois fiquei receosa quanto à reação dos jovens que iriam acompanhar-me. Ai, ai, ai! Estava tramada!

Como é que eles reagiriam a esta proposta?

No encontro que tivemos para combinar o passeio, ao chegar a esta parte anunciei a temática (da forma mais natural que consegui), deixei passar uns 2 segundos e continuei rapidamente com o meu discurso. Se ficaram chocados, não lhes dei tempo para reagirem sequer, pois passei a matérias importantes como o almoço, o transporte, os jogos e material para levar.

Primeira fase: check.

Quem iria conversar connosco? Esta é outra parte delicada da situação. É que se este testemunho não for feito da maneira mais construtiva, atual, aberta e empática, eu estaria a "estragar" e muito...

Assim, quem? tentei fazer o meu pedido com palavras "sábias". Foi indicado um nome. Depois foi indicado outro nome, mas sem confirmação.

Aproximando-se a hora, o meu coração começou aos pulos e o meu espírito super-inquieto. A minha alma só suspirava!

"Ó Lena, será que tu não nunca mais aprendes?!"

Encontramos a Irmã XXX  à nossa espera. Apresentação simpática e afável, tez branca, linhas muito finas e elegantes.

Lá seguimos atrás dela até à sala.

Lembro-me de, no meu íntimo, pedir a Jesus que me acudisse naquela hora.

Eu sentia que o grupo estava extra-super-tenso. Soube da parte das jovens, que já tinham tido uma experiência semelhante (na escola) e que "não foi nada de jeito" segundo as suas próprias palavras.

A Irmã começou o discurso dela, e começou por agradecer a todos pela nossa presença, dispostos a conversar sobre a vida consagrada. Que não era um assunto fácil. Recordo-me que a esta altura fiquei tão surpresa com este agradecimento e a pensar "nem imagina Irmã.... nem imagina!"

 

Estou Feliz?

Sou feliz?

O que Deus espera de mim? 

Só fazendo a vontade de Deus é que eu poderei ser feliz!

 

E assim prosseguiu o seu testemunho.

IMG_9454.jpg

Foram cerca de 25 minutos estranhos. Lembro-me de que, a determinada altura, ela conclui uma parte da sua apresentação e abre um espaço para perguntas. Eu estava sentada ao fundo da sala. Treze pares de olhos (todos) viram-se na minha direção. Foi assustador! 

Lá mantive a minha postura e fiz a primeira pergunta que me veio à cabeça. Tentei, entretanto, pensar em mais algumas, para o caso de a "coisa" não evoluir.

Mas a "coisa" evoluiu. Fizeram muitas perguntas e a conversa decorreu na maior normalidade e no maior interesse. De tal maneira que o grupo estava a rir-se no final, em gargalhadas e brincadeiras.

Sei que não deve ter sido nada fácil pois o nosso grupo era muito heterogéneo em termos de idades (dos 8 anos 50), rapazes e raparigas.

A minha maior preocupação eram os elementos jovens (14 - 19 anos) e o mais novo de todos.

Correu muito bem. A Irmã teve muitos elogios. 

E deste momento surgiram imensas conversas no grupo. E uma delas, entre os elementos mais velhos: falou-me de umas Irmãs jovens que gravaram um video tube muito engraçado. Um grupo muito jovem e muito alegre.

Video de Irmãs  

No dia seguinte, essa minha colega enviou o vídeo e fiquei deliciada. Vi a alegria evidente em todo o grupo de jovens mulheres e fiquei a pensar sobre isso.

É engraçado: a alegria!

A irmã XXX falou diversas vezes em como se sentiu muito bem quando foi acolhida diversas vezes pela congregação, e como se sentiu preenchida com alegria à medida que ia percorrendo o seu caminho.

Lembrei-me de um outro testemunho de outra colega (Família de Caná: Caminhada a Duas) que partilhou connosco que na congregação da sua tia, sentia muita alegria cada vez que lá passava férias, em criancice. Aliás, ficou-lhe a recordação da algazarra e alegria que era na hora do jantar em especial em noite de jogo de futebol na televisão.

Também me recordei de ter visto um programa, há mais de um ano, num dos tantos canais de televisão que agora temos, em que mostravam uma parte da vida de uma congregação e as jovens que recentemente tinham iniciado a sua frequência. Achei fascinante a alegria e o entusiasmo que elas demonstravam e falavam das coisas. Também aí vi claramente a alegria.

Chego à seguinte conclusão: é possível sentir-se alegre e feliz,num ambiente diferente do habitual/familiar .

O que parece ser não é! Jovens deste mundo sentem-se que nem peixes em água na vida consagrada. E esta é que é a verdade!

Este caminho é gradual. A Irmã XXX disse-nos que, sem experimentar um fim de semana ou uma semana, ninguém poderá dizer, com toda a certeza, que "não é para mim".

Parece-me, então, que todos nós temos preconceitos e ideias erradas da vida consagrada!

 

 

 Curiosidade: 

523047_359368374151200_493569478_n.jpg

"Tiveram a aprovação pontifícia do Iesu Communio, em 12 deste mês na Catedral de Burgos, uma nova congregação de vida contemplativa que conta com religiosas de uma média de idade inferior a 30 anos. 

O novo instituto religioso de direito pontifício foi aprovado pelo Papa Bento XVI em um decreto assinado no dia 8 de Dezembro passado, solenidade da Imaculada Conceição da Virgem Maria.

As 177 religiosas se situaram na nave central do templo, vestiam um novo hábito de tecido jeans com um cordão azul claro atado à cintura, usam uma touca celeste recobrindo a cabeça e sobre o hábito levam uma capa azul escura.

 

E para terminar, espreitem... É Surpreendente!

A minha Sogra!

15.04.15, Helena Le Blanc

A minha sogra está a passar uns dias connosco.

Ela não vive em Portugal, por isso as ocasiões de reunião serem raras. Estamos juntos mais ou menos duas vezes por ano. Uma ela vêm a Portugal, outra vamos nós ter com ela.

Sogra... é uma pessoa especial.

Há quem diga que gosta muita da sua; há quem diga que não gosta nada da sua. 

No meu caso, era um bocado indiferente. Como privávamos muito pouco, não tinha opinião. As amigas diziam-me que eu tinha muita sorte! Eu, ao ouvir este tipo de comentários, limitava-me a "abanar" os ombros.

Conheci-a durante o namoro com o meu marido. Ela esteve presente em todos os nossos momentos especiais.

DSC_0211.JPG

Ela tem mais umas filhas, mais velhas do que o meu marido. Naturalmente tem uma relação mais forte com ambas.

Para mim estava tudo muito bem, até que... fiquei grávida e tive o meu bebe.

A minha sogra decidiu vir cá passar um mês inteirinho, para me ajudar com o bebe.

Até à data nunca tinha acontecido nada de especial entre nós as duas, excepto a sua opinião negativa relativo à escolha do primeiro nome do bebe (aliás, ninguém gostou, à excepção das minhas cunhadas!)

 

Ela chegou e... tomou conta da situação. 

Eu inicialmente não reagi... mas depois comecei a não achar piada nenhuma. 

 

Era o meu primeiro filho. Tinha imensas duvidas e inseguranças, não podendo contar com a ajuda da minha mãe. 

Eu e o meu marido estávamos completamente sozinhos, a residir longe dos amigos. 

A minha sogra sabia os truques todos, e ia fazendo milagres com o bebe. Escusado será dizer que a minha auto-estima ficou de rastos! Foi por água abaixo!IMG_5575.JPG

A minha sogra, sensível aos meus estados de humor, apanhou-me "a jeito" e dialogou comigo. Pediu-me desculpa por todos os momentos que eu me senti "ultrapassada" e pediu-me para eu lhe dizer o que achava bem e menos bem. Ela transmitiu-me que respeitaria todas as minhas decisões. Eu decidi dar-lhe uma oportunidade.

P1040144.JPG

Fiquei fã da minha sogra.

A partir desse momento, apoiei-me completamente nela. Foi tão bom! Foi um grande alívio para nós, enquanto casal!

Aos 22 meses do Xavier, aceitei e autorizei que o meu marido viajasse sozinho com o bebe, durante 8 dias. E sabem porquê? Uma das razões foi porque eu sabia que poderia confiar na minha sogra. Ela estava lá à espera dele. DSC_0004.JPG

Hoje em dia, estou sempre em "pé de guerra" ou "à batatada", metaforicamente falando, com uma das minhas cunhadas que também tem uma criança pequena. Porquê? Por causa da disponibilidade da minha sogra!

IMG_2919.jpg

Evidentemente continuamos a ter discordâncias, mas numa relação saudável e construtiva, tal como temos com todos os nossos outros familiares.

 

Voltando ao início, recebi uma surpresa da minha sogra, no primeiro dia da estadia dela: um ramo de jarros. Foi dar um passeio e "roubou-os"/pediu-os emprestados para mos oferecer!

IMG_1060.JPG

 

A minha sogra não é uma querida?!

Quantas sogras não poderiam ser também umas queridas? 

Porque não lhes dar essa oportunidade e um grande Voto de Confiança?

Distúrbio do défice de Espiritualidade...

14.04.15, Helena Le Blanc

Enquanto esperava, ontem, no aeroporto de Lisboa, entrei na loja de papelaria.

Deu uma voltinha e interessei-me por um livro: "Uma Horta em casa" de Isabel de Maria Mourão e Miguel Maria Brito, Edições Arteplural.

IMG_1047.JPG 

Temos intenção de arranjar um cantinho no nosso jardim, para uma pequena horta. Acho que vai ser uma atividade muito benéfica e divertida para a nossa família. Mas como não percebo nada de nadinha  (por minha grande culpa), preciso de ajuda. Abri o livro e gostei da sua simplicidade -  preciso de muitas explicações básicas.

E, tomando por exemplos outras Famílias de Caná (Uma Família católicaAdoptar Amar Viver, Rezando a Vida em FamíliaAlheia a tudo... ou talvez não!) vamos lançar-nos nesta grande aventura. Tenho a certeza que no meio de surpresas e dissabores, vamos recolher produtos para a nossa alimentação e belezas que irão decorar a nossa casa e deixar um cheirinho muito agradável.

Nós temos plantas dentro de casa (que muito gostamos) e árvores nesta nova casa. Mas é preciso saber cuidar e fazer melhor.

Ontem à noite, na cama, peguei no tal livro, e o primeiro capítulo começa com uma pergunta: porquê  uma horta em casa? Para minha surpresa, os autores, na sua resposta, falam de se ter já identificado o "distúrbio do défice de natureza (nature deficit disorder) provocado pelo distanciamento cada vez maior das crianças com o ambiente natural (Louv, 2008)."  Ao acabar de ler o texto fiquei quase indignada! Agora é moda. Toda a gente fala desta grande falha do século XX: a perda dos bons hábitos dos nossos avós e bisavós - e já que os perdemos, ainda bem que há uma tomada de consciência e apelos constantes!

No oceanário, uma das exposições temporárias era sobre a reciclagem, o reaproveitamento e hábitos alimentares, que passam pela plantação doméstica. Muito bem conseguida. 

 

Mas... e o distúrbio do défice de espiritualidade? Porque é que ainda não foi inventado, estudado, analisado? Porque é que ainda não houve uma tomada de consciência global para este distanciamento, cada vez maior, das crianças para com a sua espiritualidade?

(E desde já as minhas mil desculpas se já existe deste distúrbio. Se sim, desconheço. Peço que entre em contacto comigo e farei uma retificação a este post).

A maior parte das pessoas da minha geração e gerações seguintes, cresceram com espiritualidade e com a ciência.

Na época a ciência, ainda "muito imatura" cometeu o grande erro de distinguir a verdade do "científico". Introduziu conceitos como o relativismo, o método e o sucesso. Fruto disso, muitas pessoas "renegaram" a religião de seus pais, pais esses tinham perdido as competências da evangelização doméstica... Apesar de baptizados, cresceram adultos indiferentes. Estes adultos falam de valores, pois a sua juventude foi marcada por grandes causas e ideais. Mas o que são valores sem essência, sentido de vida e de missão?

Engraçado como que, para qualquer processo de certificação de Qualidade, a primeira coisa que qualquer empresa/entidade tem que fazer é definir a sua MISSÂO, a sua VISÂO e os seus VALORES. Não é isto tão familiar para nós católicos?

Há uns anos atrás tive a bela surpresa, numa Feira de Saúde, de encontrar a espiritualidade retratada. Falavam da importância desta grande área do ser humano (para além do físico e do cognitivo) e que tem um peso na cura e reabilitação do físico e do cognitivo!

Porque é que temos CAPELAS nos HOSPITAIS? Porquê? 

 

Eu cresci numa família aparentemente católica. Participava-se na missa dominical, mas as decisões tomadas pelos adultos eram muito diferentes dos ensinamentos de Jesus. "Olha para o que eu digo, não olhes para o que eu faço!"

A escola só me falou de ciência. A determinado ponto da minha vida, optei por esse caminho. O caminho dos factos, das escolhas sem consequências evidentes, da construção do sucesso, da frieza que deveria pautar todas as minhas relações profissionais, etc...

O que mudou?

Sentir-me amada.

Desde que me afastei Jesus, o meu melhor amigo, nunca mais me senti verdadeiramente amada e afetivamente preenchida. A cada facto e acontecimento, o meu negro interior aumentava, dia após dia. Tudo o resto corria bem na minha vida, mas o que realmente importava para mim era o sentir-me amada. Hesitante, recomecei a participar na Eucaristia e.... Jesus ajudou-me a reconciliar-me com o nosso Pai. Corri para os braços da minha Mãe, da nossa Mãe.

 

A caminho de Aveiro, vi a seguinte tableta, na entrada da Igreja de N.ª S.ª de Fátima (não tenho a certeza absoluta da redação da frase, principalmente relativo à palavra cresce, mas se estiver errado, fica o desejo):

 

A ilha da MISERICÓRDIA cresce num mar de indiferença!

 

A Criatividade de DEUS!

13.04.15, Helena Le Blanc

Nestes últimos dois dias, por um motivo familiar, tivemos de ir a Lisboa. 

Aproveitamos e fomos visitar ao Jardim Zoológico de Lisboa e o Oceanário de Lisboa.

São dois sítios super-interessantes para crianças... e graúdos!

E tanto no dia de ontem como no dia de hoje, fiquei maravilhada... com as criações de DEUS!

 

Deus tem criatividade! Vi espécies incríveis, com características muito diferentes. Poderia deixar aqui muitas fotos de espécies tão diversas e tão bonitas (algumas até nem tão bonitas!)

 

Mas somente deixo duas fotos de dois momentos que me apanharam de surpresa:

- Este pavão com as suas penas abertas....

 

IMG_0685.JPG 

 - E esta imagem... quando olhei só pensei... "Ó Meu Deus!"

IMG_0857.JPG

Será que, como aquele raio de luz está para os peixes,

Deus não estará, da mesma forma, para nós?

Cursos Online Católicos gratuitos

12.04.15, Helena Le Blanc

Um dia destes vi numa das redes sociais um anúncio de cursos ONLINE gratuitos.

O título chamou a atenção "O Mistério da Páscoa" pelo Padre Raniero Cantalamessa, o Pregador da Casa Pontifica, em Roma.

Normalmente não dou muito crédito a este, e outro tipo de anúncios. Mas, desta vez foi diferente. Não sei o que de meu mas "cliquei", fui lendo e preenchendo informação.

O site é brasileiro e disponibiliza cursos gratuitos e não gratuitos. O EAD Seculo 21 é uma iniciativa do Pe. Eduardo Dougherty que acredita que a cidadania deve ser praticada por todos: “Construir uma sociedade mais justa, fraterna e apta a resolver seus próprios problemas é tarefa das pessoas que vivem nessa comunidade”. Assim, fundou a Associação do Senhor Jesus e a TV Século 21. 

No início é um bocadito difícil pois as fontes são muito pequenas. O registo poderá ser complicado se não formosresidentes no Brasil, mas é possível completar. Disponibiliza muita informação sobre como nos movimentar o site e assistir às aulas. 

Inscrevi-me e estou a fazer o curso do Mistério da Páscoa. São 3 aulas, no total de 8 horas. Poderei ver a aula quando eu quiser, no dia e hora que eu quiser. São pequenos vídeos de mais ou menos de 20 minutos. Há também material escrito - anotações. No fim de cada capítulo/aula tenho uma avaliação que terei de preencher. No final do curso, tenho diploma, conforme os meus resultados nas avaliações.

Há um chat em que pode-se trocar impressões com os outros alunos inscritos no mesmo curso em que eu estou inscrita. Já lá encontrei portugueses, e filhos de portugueses.

Tenho um mês para completar este curso. No final do mês este curso fica indisponível para mim. 

Têm muitos outros cursos. Anunciaram agora outro que fiquei também curiosa, e é precisamente sobre a divina Misericórdia.

 

http://www.eadseculo21.org.br/ead/

A Divina Misericórdia!

11.04.15, Helena Le Blanc

Amanhã é o Domingo da Divina Misericórdia.

"Desejo que a Festa da Misericórdia seja refúgio e abrigo para todas as almas, especialmente para os pecadores. (...). Derramo todo um mar de graças sobre as almas que se aproximam da fonte da Minha misericórdia. A alma que se confessar e comungar alcançará o perdão das culpas e das penas.

Nesse dia, estão abertas todas as comportas divinas, pelas quais fluem as graças. Que nenhuma alma tenha medo de se aproximar de Mim, ainda que seus pecados sejam como o escalarte".

Estas palavras ficaram escritas no diário de Santa Faustina. Segundo esta, uma voz interior lhe ensinou esta oração nas contas do rosário.

1 - No começo:
Pai nosso, que estais nos céus, santificado seja o vosso nome; venha a nós o vosso reino, seja feita a vossa vontade, assim na terra como no céu. O pão nosso de cada dia nos dai hoje; perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido e não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal. Amém.


Ave, Maria, cheia de graça, o Senhor é convosco; bendita sois vós entre as mulheres e bendito é o fruto do vosso ventre, Jesus. Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nos, pecadores, agora e na hora de nossa morte. Amém.


Creio em Deus Pai, todo-poderoso, criador do Céu e da Terra; e em Jesus Cristo, seu único Filho, nosso Senhor; que foi concebido pelo poder do Espírito Santo; nasceu da Virgem Maria, padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado; desceu à mansão dos mortos; ressuscitou ao terceiro dia; subiu aos céus, está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso, de onde há de vir a julgar os vivos e os mortos. Creio no Espírito Santo, na Santa Igreja Católica, na comunhão dos Santos, na remissão dos pecados, na ressurreição da carne, na vida eterna. Amém.

2 - Nas contas de Pai Nosso, dizer as seguintes palavras:
Eterno Pai, eu Vos ofereço o Corpo e o Sangue, a Alma e a Divindade de Vosso diletíssimo Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo, em expiação dos nossos pecados e dos do mundo inteiro.
Nas contas da Ave-Maria rezar as seguintes palavras:
Pela Sua dolorosa Paixão, tende misericórdia de nós e do mundo inteiro.

3 - No fim, rezar três vezes estas palavras:
Deus Santo, Deus Forte, Deus Imortal, tende piedade de nós e do mundo inteiro.

Jesus disse a Irmã Faustina:Pela recitação desse Terço agrada-me dar tudo que Me pedem. Quando o recitarem os pecadores empedernidos, encherei suas almas de paz, e a hora da morte deles será feliz".

Novena à Divina Misericórdia, que Jesus me mandou escrever e rezar antes da Festa da Misericórdia, começa na sexta-feira santa, repetindo-se por nove dias.

 

 

Já tinha ouvido falar, já tinha lido sobre e até já tinha ouvido no radio durante alguns minutos. Nunca rezei até hoje este terço.

Amanhã, a minha família vai até Lisboa. Vou rezar este terço durante a viagem. Poderei não fazer a novena este ano, mas no Domingo da Divina Misericórdia, rezarei, pela primeira vez, o Terço da Misericórdia. 

 

IMG_0343.JPG

 

Um comentário do Facebook...

10.04.15, Helena Le Blanc

Hoje foi um dia muito preenchido.

Trabalhei a 200%, o que já é habitual. Mas a diferença de hoje foi que nas, cerca 3, ultimas horas de trabalho, realizaram-se ao som de um bip ensurdecedor. Esse bip prolongou-se porque não foi possível resolver, ou "calar" a coisa.

Assim, ter de concentrar-se e ser rápida, porque ainda havia muito que fazer, foi muito difícil.

Saí do trabalho com uma frustração de não ter desligado o quadro eléctrico e a pensar o quanto o ser humano é resistente.

Por isso, só poderia acabar esta semana, iniciar o fim de semana com um post muito light. E encontrei. Há algum tempo que guardei um pequeno comentário, de uma das contas do facebook do Papa Francisco, e com a qual termino este dia:

 

IMG_2094.PNG

A Oitava de Páscoa!

09.04.15, Helena Le Blanc

Hoje de manhã, li um artigo sobre A Importância da Oitava de Páscoa. Não sabia que era o tempo litúrgico mais forte de todo o ano. 

Também uma família católica fala sobre isso. 

 

Mas, para mim,  o que mais "saltou aos olhos e ao espírito" foi o facto de dizerem que é "um tempo especial de graças onde a alma mais facilmente bebe nas fontes divinas."

Apesar de a leitura do dia/semana/50 dias ser dos Atos dos Apóstolos, tenho estado a ler o 2º Livro das Crónicas. Recordei-me, no final da minha leitura do artigo em cima referido, de uma intenção pela qual rezou Ezequias, ao prepararem a Festa da Páscoa:

 

" Senhor, na tua bondade,

perdoa o pecado dos que de coração

procuram a Deus, o Senhor,

o Deus dos seus antepassados,

mesmo que não tenham a pureza

exigida para as coisas santas"

 

(2Crónicas, 30, 18-19)

 

  

Preciso de ajuda...

08.04.15, Helena Le Blanc

Hoje à noite, e todas as ultimas noites, tenho andado a reorganizar as minhas fotos.

O meu marido fez-me um ultimato sério, pois nas ultimas mudanças de computadores/discos duros ele encontrou imensas fotos minhas desorganizadas e repetidas.

Assim, uma das minhas resoluções desta quaresma foi redistribuir melhor a minha energia e dar outro tipo de ponderações aos meus itens de prioridade na minha vida. Não sei se consegui fazer-me entender.

Revi esta foto.

IMG_9370.JPG

Numa das minhas visitas/passeios, deparei-me com este quadro/pintura. 

Achei super-interessante e pensei em imediato: uma boa atividade para propor às crianças (sejam elas catequizandos, filhos, etc...)

Tenho estado a observar o quadro nestes últimos 15 minutos.

O quadro esta dividido em 11 quadrados, e cada um deles remete para uma passagem da Bíblia.

Confesso. Não consigo identificar todos. Alguns são evidentes. Outros, para mim, nem por isso! 

Preciso de ajuda.